The Last of Us para Fate Básico! [parte 1]

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima. Saudações, 4dF+4 leitores que acompanham essa coluna inquieta, carinhosamente conhecida por poucos como a Caixa do Lima. Inquieta, porque sempre tento fazer um planejamento de postagens com temas organizados e encadeados, mas todas as escritas são guiadas pela minha empolgação em determinados temas e assuntos. E mais uma vez não segui o cronograma, mas por uma boa causa — para voltarmos às adaptações para Fate Básico/Acelerado com o jogo do ano, pelo menos para mim. Estamos falando de The Last of Us 2 (Abby Rainha!).

O Mundo de The Last of Us

Um jogo eletrônico de Ação/Aventura e Terror/Sobrevivência, desenvolvido pela Naughty Dog, The Last of Us foi lançado mundialmente no dia 14 de Junho de 2013 para a PlayStation 3. Em The Last of Us, Joel (personagem jogável), o protagonista, tem que percorrer os Estados Unidos num cenário pós-apocalíptico em 2033 — 20 anos após o surto da infecção do fungo Cordyceps. Joel tem como missão escoltar a jovem Ellie até um grupo de resistentes amigáveis, os Vagalumes, que estão em busca de uma cura para a infecção.

Nesta jornada, Joel e Ellie têm que se defender de criaturas infectadas (similares a zumbis, mas não zumbis) em sua grande maioria, seres humanos infectadas com o fungo cordyceps. No cenário do jogo, os protagonistas também precisam se proteger de bandidos e outros grupos de resistência que tentam reorganizar a sociedade de acordo com as suas ideias, além de grupos de canibais humanos hostis, usando armas de fogo e técnicas de combate.

O mundo está devastado e os recursos devem ser encontrados em meio às explorações na devastação das selvas de pedra.

The Last of Us 2 foi lançado em junho de 2020 e os eventos do cenário ocorrem cinco anos após os eventos do final do primeiro jogo e cerca de 25 anos após o surto de Cordyceps. Ellie, agora como protagonista, tem dezenove anos de idade e Joel tem seus cinquenta anos. A história é dividida em quatro capítulos sazonais, começando em Jackson, Wyoming, durante os meses de inverno. A dupla, tendo se estabelecido no assentamento de Tommy (irmão de Joel), vivem em relativa paz dentro da próspera comunidade. Enquanto esteve lá, Ellie chegou a fazer amizades com Dina e Jesse. No entanto, os sobreviventes enfrentam ameaças constantes de infectados e outros sobreviventes hostis.

Quando um evento trágico atrapalha a tranquilidade de sua vida, Ellie embarca em uma jornada em busca de vingança, para realizar justiça contra um culto misterioso e perigoso conhecido como Serafitas. Ao caçar os responsáveis um por um (é aqui que Abby surge), ela é confrontada com as conseqüências traumatizantes — físicas e emocionais — de suas ações. Ellie é alimentada pelo ódio, que será um tema importante na história. A maior parte do jogo é ambientada em Seattle, Washington.

O que é o Cordyceps?

Cordyceps (Ophiocordyceps Sinensis) é um tipo de fungo que ataca principalmente formigas e outros artrópodes, agindo como parasita e manipulando o hospedeiro para que ele aja de forma a espalhar seus esporos e infectar mais formigas. Basicamente, quando uma formiga é infectada, o fungo cresce dentro do seu corpo até chegar ao cérebro, fazendo com que ela suba até o ponto mais alto que puder e então a mata. Depois de um tempo, começam a surgir cogumelos do cadáver da formiga, espalhando esporos nas formigas abaixo dela, recomeçando todo o ciclo.

Em The Last of Us, o fungo afeta os demais seres vivos, especialmente os humanos.

AVISO

As informações são poucas, para evitar spoilers do jogo. “Mas Lima, tem gente ainda para levar spoilers a essa altura?” Tem sim, o Tio Lipe tá com medo de levar spoilers do primeiro The Last of Us.

Regras para a ambientação

O sistema escolhido é o Fate Básico/Acelerado que é o queridinho da casa, como vocês já sabem. “Já deveria sair para o Fate Condensado”. É, poderia, mas como aqui sempre prezamos pela acessibilidade, vamos trabalhar com as versões que temos em português. Em um futuro próximo, quando o Fate Condensado se tornar realidade em nosso idioma, revisitaremos esse texto. Esta adaptação não terá modificação nas regras básicas do Fate, seja ele básico ou Acelerado, as perícias ou abordagens vão se manter as mesmas. A proposta é apresentar algumas sugestões de regras extras para tentar emular o cenário de The Last of Us.

Os jogadores podem criar os personagens seguindo as regras básicas do sistema, mas tendo em mente que eles fazem parte de um grupo de sobreviventes, fazendo parte de qualquer um dos grupos envolvidos na trama do cenário: Vagalumes, contrabandistas, WLF, Fedra, Serafitas, Jackson ou qualquer outro grupo que se deseje criar. E podendo até encaixar esses grupos em outros países e localidades mais específicas para facilitar o conhecimento do narrador e dos jogadores, como a cidade onde o grupo reside.

Ataque Furtivo

Uma das características do jogo é o ataque furtivo, que causa a morte rápida e silenciosa nos inimigos. Ele só pode ser aplicado em inimigos de tamanho médio ou menor. Trôpegos e Baiacus não sofrem este tipo de ataque. Nesta proposta, o ataque furtivo é uma Disputa da Furtividade (Sorrateiro) contra a Percepção (Cuidadoso) do alvo em uma Disputa de melhor de três.

Exemplo

Joel está investigando uma farmácia abandonada e encontra com um grupo de Corredores; um está próximo o suficiente para ele tentar um ataque furtivo, então ele começa uma Disputa de melhor de três contra o corredor mais próximo. Joel vence as duas primeiras rolagens e consegue se aproximar silenciosamente para derrotar o inimigo sem fazer barulho. Agora ele está pronto para tentar novamente. Caso o personagem seja bem sucedido no ataque furtivo, não há necessidade de fazer rolagens de ataque e defesa para saber o destino do oponente; se foi surpreendido, está indefeso.

Exploração

Os grupos precisam se arriscar em busca de recursos, seja uma peça para consertar um carro ou gasolina para fazer um gerador funcionar. Esses equipamentos fazem parte de uma missão e provavelmente, os personagens já sabem onde procurar. Mas durante o caminho, é sempre bom dar uma olhada nas prédios abandonados em busca de comida, munição ou peças de reparos para as armas e até para fazer armas improvisadas.

Cada personagem pode explorar um cômodo de um edifício. Depois de ser explorado, mesmo que outro personagem entre no local e faça um teste de exploração, o cômodo não terá mais nada para fornecer ao grupo. O teste de explorar é uma rolagem de Investigar (Fate Básico) ou Cuidadoso (Fate Acelerado), com os resultados da rolagem seguindo a tabela abaixo:

Role 4df + perícia ou abordagem
-2O grupo cai em uma área de esporos com muitos inimigos e um trôpego ou um baiacu (mesmo se apenas um jogador tiver essa rolagem).
-1O grupo não acha mais nada em todo esse edifício, mas encontra um grupo de corredores, espreitadores ou estaladores (mesmo se apenas um jogador tiver essa rolagem).
+0 ou +1O grupo não encontra nada.
+2O personagem ganha um impulso para a próxima rolagem de explorar.
+3O personagem encontra 1 item (ou limpa as caixas de estresse de um item na sua mochila).
+4O personagem encontra 1 mesa de melhorias (ou limpa as caixas de estresse de dois itens que tem na mochila)

Mochila (Recursos)

A mochila de um sobrevivente tem 8 espaços; itens pequenos ocupam 1 espaço; itens médios, 2 espaços; e itens grandes, 3 espaços. Cada item na mochila tem 2 caixas de estresse de recarga e cada vez que o personagem precisa usar um item da mochila, ele marca uma caixa de estresse. Quando as duas caixas de estresse são preenchidas, o item é usado completamente. As caixas de estresse dos itens da mochila só são zeradas quando os personagens encontram itens na exploração.

Exemplo 1

Dina está organizando sua mochila para a viagem a Seattle. Como a mochila tem 8 espaços, ela coloca um kit de ração (pequeno), uma pistola (médio), uma caixa de munição para pistola (pequeno), um kit de primeiros socorros (médio) e um binóculo (médio), ocupando todos os oito espaços da mochila.

Exemplo 2

Abby tem na mochila uma caixa de munição para rifle, que foi usada uma vez, então ela marca uma das caixas de estresse da munição do rifle. Se precisar recarregar mais uma vez, ela vai marcar a última caixa de estresse e suas balas acabam e vai ter que procurar mais balas na cidade.

Recarga

Nesta proposta, não vamos ficar contando a munição gasta, mas a capacidade de munição de cada arma, controlada pelas caixas de estresse que cada uma possui. Quando o personagem atacar com a arma — caso ele acerte — não precisa marcar a caixa de estresse. Mas no caso de um erro, ele marca uma caixa de estresse de recarga. Se chegar a marcar todas as caixas de estresse de recarga da arma, vai precisar recarregar na próxima ação. Quando a cena acaba, as caixas de estresse de recarga são zeradas, se o personagem tiver recursos para isso na mochila. Mas as caixas de recursos na mochila permanecem do jeito que estão, após os ajustes de recarga.

Exemplo

Ellie está atirando com uma escopeta que tem duas caixas de estresse de recarga. Ela erra o primeiro tiro e marca uma caixa de recarga; na próxima ação, seu segundo tiro erra novamente o alvo e ela marca a segunda caixa. Agora ela vai precisar gastar uma ação para recarregar a arma com a munição dentro da mochila e marcar a caixa de estresse dos itens na mochila.

Armas

Arco: um companheiro para todas as horas, principalmente aquelas em que você quer ser sorrateiro e silencioso. O arco é uma arma extremamente eficiente tanto contra humanos quanto infectados. Basta uma flecha certeira na cabeça para derrubar a maioria dos inimigos sem causar alarde. Quando o jogador é bem sucedido em um tiro de arco com estilo, ele pode optar por; a) dar um segundo tiro de arco ou b) causar uma caixa extra de estresse. O Arco tem três caixas de estresses de recarga.

Pistola: a ferramenta básica de qualquer sobrevivente. É sempre bom ter uma por perto em um mundo pós-apocalíptico. Tem ótima cadência de tiros e é a arma com o menor tempo de recarregamento, além de poder receber um silenciador caseiro. O personagem quando consegue um sucesso com estilo, pode dar um segundo tiro na mesma ação e a pistola tem cinco caixas de estresses de recarga.

Revólver: outra arma básica, que perde um pouco na cadência de tiro e velocidade de recarga para ganhar mais dano. Também é um bom companheiro para combates a curtas distâncias, causando uma caixa de estresse extra em ataques à curta distância. Ele tem duas caixas de estresse de recarga.

Rifle: quando a ideia é se manter longe, o rifle é a melhor opção. É uma arma com alto poder de dano, capaz de desmembrar humanos e infectados com seus projéteis. Quando usado com uma luneta telescópica, permite que o atirador se posicione a uma distância segura de seu alvo, mas o trajeto mais longo pode trazer dificuldades adicionais. O rifle causa uma caixa de estresse extra de dano, podendo causar duas caixas de estresse a mais quando o personagem tem sucesso com estilo. Ele tem uma caixa de estresse de recarga.

Escopeta: se o seu negócio é causar a maior quantidade de dano possível, você precisa usar a escopeta. Também conhecida como espingarda ou “doze”, essa arma de grosso calibre é capaz causar um belo estrago nos inimigos. Causa duas caixas de estresse extra de dano à curta distância. Ela tem duas caixas de estresse de recarga.

Desafios

Corredores

São inimigos que estão no primeiro estágio da infecção pelo Cordyceps, fase que se inicia após um ou dois dias após o contágio. Nesse nível, o infectado tem grande aumento de irritabilidade e hostilidade em relação aos outros, mas pode ser facilmente derrotado com tiros, golpes de armas brancas e outros ataques simples. Diferentemente de outros inimigos, ainda têm visão, mas bem turva. Sua aparência é próxima à de um ser humano.

Regular (+1): correr e morder

Ruim (-1): visão turva e perceber

Estresse: 1 caixa para cada corredor em cena

Espreitadores

O resultado do segundo estágio da infecção. Assim como os Corredores, ainda preservam a visão, mas são muito mais perigosos e rápidos, fazendo pouquíssimo barulho quando se movimentam, aproximando-se de suas vítimas ou se escondendo em cantos escuros. Esse estágio pode se desenvolver de uma semana a um mês após o contágio.

Razoável (+2): correr, agarrar e esconder-se

Regular (+1): morder e furtividade

Ruim (-1): visão e perceber

Estresse: 2 caixas para cada espreitador em cena

Estaladores

Os infectados no terceiro estágio são conhecidos como Estaladores. Para alcançar esse nível, a contaminação deve passar de um ano. Essa exposição prolongada lhes dá uma força que supera significativamente a média humana. Como os fungos ocupam quase o rosto inteiro desses seres, tirando completamente sua visão, eles se orientam através de ecolocalização, com ruídos que parecem estalos — por isso o nome.

Bom (+3): lutar e agarrar

Razoável (+2): perceber e morder

Regular (+1): furtividade e correr

Terrível (-2): visão

Estresse: 3 caixas para cada estalador em cena

Trôpegos

Eles têm esse nome por se movimentarem de uma maneira estranha, parecendo que estão sempre prestes a cair, o que se deve ao peso dos aglomerados de pústulas que nas costas. Esses inimigos pulverizam ao seu redor uma nuvem de ácido e mesmo após derrotados, oferecem muito perigo, pois explodem violentamente, jogando essa substância corrosiva no ar.

Ótimo (+4): spray de ácido

Bom (+3): lutar e agarrar

Razoável (+2): morder

Regular (+1): perceber e furtividade

Ruim (-1): correr e visão

Estresse: 4 caixas de estresse

Baiacus

O último e mais poderoso estágio do Cordyceps, podendo levar anos para a vítima atingir esse estado. Eles são cobertos por camadas espessas de fungos que atuam efetivamente como armaduras, protegendo-os de golpes e tiros, mas os deixa bem lentos por causa do peso adicional. Os Baiacus são extremamente fortes e conseguem facilmente rasgar uma pessoa ao meio, além de poderem atacar à longa distância, arremessando pedaços de sua carapaça, que liberam toxinas no impacto.

Excepcional (+5): arremessar (uma caixa de estresse de dano extra)

Ótimo (+4): defender (reduz uma caixa de estresse de dano), lutar e agarrar

Bom (+3): Morder

Razoável (+2): perceber

Terrível (-2): correr e furtividade

Estresse: 5 caixas de estresse

Lobos (WLF)

A Frente de Libertação de Washington (Washington Liberation Front, em inglês) é informalmente chamada de Lobos por conta de sua sigla (WLF, que parece a palavra lobo em inglês, Wolf). É uma organização militante paramilitar em The Last of Us Part 2, que ao longo dos anos, se tornou particularmente xenófoba, confiando apenas uns nos outros e agindo hostilmente contra estrangeiros, chegando ao ponto de praticar a tortura em prisioneiros para conseguir informações.

Razoável (+2): furtividade e atirar

Regular (+1): lutar e correr

Ruim (-1): perceber

Estresse: 1 caixa para cada membro do grupo em cena

Serafitas

Um culto das ruas de Seattle que pratica uma forma de sacrifício ritualístico em nome da profeta e mártir que os criou, pregando o retorno da humanidade à natureza. Eles penduram suas vítimas pelo pescoço e abrem suas entranhas, dizendo que estão “em comunhão com o pecado”. Eles também chamam os infectados de demônios e cortam as bochechas para gerar cicatrizes que parecem um sorriso. Os Serafitas são sorrateiros e usam os arranha-céus da cidade para se movimentar, longe dos olhos de todos no chão.

Bom (+3): furtividade e enganar

Razoável (+2): perceber

Regular (+1): atirar e correr

Ruim (-1): lutar

Estresse: 1 caixa para cada membro do grupo em cena

Conclusão

As pesquisas sobre The Last of Us foram feitas nos sites da Wiki The Last of Us e no Dossiê The Last of Us. Esta adaptação pode não atender os anseios dos mais preciosistas sobre o jogo, mas a ideia é tentar emular as particularidades do cenário usando o sistema Fate. E para aqueles que vão questionar a falta dos doguinhos nas fichas de desafios, achei muita crueldade com os bichinhos e não quero usar nesta adaptação.

Até breve!

😉

0 Comentários

  1. Dan sevensays:

    Cara que adaptação linda, eu tava com tanta saudade dos matérias de
    Fate no blog, que bom que eles voltaram, e espero que depois desse venham mais

Deixe uma resposta