Usando aspectos em Dungeons & Dragons 5e

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

Saudações 2d20 leitores desta coluna conhecida na comunidade como a Caixa do Lima. Então, como vocês estão nessa quarentena? Embora muitos digam que não há pandemia, e que o isolamento é desnecessário, sabemos que as coisas não são bem assim. A pandemia é séria, e os dados são alarmantes, e quando estou tentado organizar essas palavras vejo notícias que o Brasil pode se tornar o novo epicentro global do Covid-19.  

E se você está no isolamento, algumas medidas são necessárias para manter a sanidade, isso não é um manual, apenas algumas sugestões: organize uma rotina de trabalho, leituras, joguem RPG on line, tentem fazer minicursos e quando não estiverem se sentindo bem, chame um/a amigo/a para conversar. Para os que não podem estar em isolamento, devido a questões de força maior, usem máscaras, lavem sempre as mãos e evitem contato o máximo que puderem. Juntos somos mais forte. 

Uma resenha sobre OSR

Olá Aventureir@s! Eu sou o DM Quiral, e estamos de volta em nossas experimentações no Laboratório do Alquimista no Mundos Colidem! Nesta coluna eu trago um pouco de minhas reflexões sobre esse incrível movimento que possui mais de 15 anos. Muita coisa mudou, conceitos são repensados, atualizados… e hoje eu compartilho com vocês o que eu penso sobre isso tudo.

RPG no Apocalipse!

Olá Aventureir@s! Estamos de volta em nossas experimentações no Laboratório do Alquimista no “Mundos Colidem”! No capítulo de hoje venho falar sobre a nossa atual realidade, o afastamento social (presencial) necessário por conta do COVID-19. A proposta desse texto é dar minha colaboração para que se mantenha o hobby ativo, mesmo em época de confinamento.

Construindo Personagens e Cenários em Crianças Enxeridas

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

Retornamos a esta caixa de ideias em sua primeira aparição deste ano, da forma como terminamos o ano passado: falando sobre jogos autorais do Mundos Colidem. E já que o papo é sobre as nossas produções, vamos logo trazendo notícias sobre um dos jogos mais esperados deste coletivo, sim, senhoritas, senhoras e senhores, estamos falando do Nova Amsterdã (NA), um cenário que traz o mythos de Lovecraft para o Nordeste brasileiro durante a dominação holandesa, usando o sistema do Fate Acelerado.

E se você ainda não sabe o que é o Nova Amsterdã e ficou curioso com a sua proposta, este é o momento para aprender mais sobre ele.

Vamos às atualizações do NA: o texto está concluído e revisado, assim como as ilustrações feitas pelas mãos do talentosíssimo Miguel Rude e de algumas ilustrações adicionais de Leander Moura (como o mapa de Nova Amsterdã) e do Daniel Júnior (O Observador). O livro encontra-se em processo final de diagramação, sob a batuta do renomado Dan Ramos, correndo o risco de ficar pronto antes deste texto chegar ao conhecimento de vocês (calma, nós vamos dar uma segurada para ele só vir depois). Assim que o arquivo digital estiver concluído e passar pela avaliação final da equipe, ele será disponibilizado nas lojas virtuais do MC.

Mas enquanto isso não acontece, vamos falando de outros jogos autorais do coletivo — e nessa postagem, vamos conversar sobre Crianças Enxeridas.

Viajar é preciso? Regras simples para viagens

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

No episódio desta semana da Caixa do Lima, este espaço quinzenal de diálogos sobre as mais variadas questões relativas à prática do RPG (jogos autorais, sugestões de regras, resenhas, uso do RPG na educação e afins), vamos falar sobre as viagens nos jogos. Estamos falando das viagens que os grupos fazem de uma cidade para outra, ou até enfrentando grandes distâncias e cruzando continentes em busca de aventuras. A palavra viagem, segundo o Dicionário Aurélio (7ª edição, pág. 815) significa “ato de ir de um a outro lugar mais ou menos afastado. Na grande maioria dos jogos de RPG, os grupos de jogadores fazem longas e variadas viagens, para resolver as demandas da estória na qual eles estão envolvidos. E é justamente nas viagens, que vários problemas podem acontecer.

Usando Grid de Combate divididos por Zonas

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

No episódio desta semana na Caixa do Lima, vamos apresentar uma sugestão de grid para os combates em suas mesas de RPG, independentemente do estilo do sistema que vocês estejam jogando, seja ele gamista, narrativista ou simulacionista — em relação esse último, eu sei que que foi exagero, essa galera gosta é das distâncias milimetradas — mas aproveitando a brincadeira, gostaria de frisar que essa postagem é uma sugestão. Não estou dizendo que esse é o melhor jeito de conduzir os seus combates, apenas um método que uso em minhas mesas.

Os exploradores de hexágonos: O modelo Pointcrawl

Salve, salve aventureiros! Aqui é o Joka da Espaço Mítico e nesta semana daremos continuação a uma série de artigos sobre a modalidade hexcrawl de aventuras. Mas desta vez apresentaremos uma alternativa interessante para quem não tenha gostado muito do hexcrawl ou não tem tanto tempo para investir na preparação deste tipo de jogo: o Pointcrawl.

Índice Mundos Colidem FATE/FAE [ATUALIZADO]

Olá eu sou o Lima, Raphael Lima.

Essa semana na Caixa do Lima, esta coluna onde vos falo quinzenalmente, apresento a vocês o índice de artigos sobre o Fate e Fate Acelerado que foram publicados no Mundos Colidem, nas colunas Caixa do Lima, Encruzilhada dos Mundos, Espaço Mítico e Estação das Brumas. Gostaria de agradecer aos leitores do MC que sugeriram a compilação desse índice de postagens do Fate Acelerado, e que atendendo aos desejos dos que anseiam por mais aventuras prontas, adaptações, fichas e dicas para o sistema, estamos tentando voltar a normalidade, e em breve teremos novidades. O índice vai trazer apenas as postagens referentes a adaptações, criação e sugestão de regras e produções de cenários autorias do MC.  As postagens sobre fichas de adaptações e as resenhas de sistemas ficaram de fora dessa lista, por não serem o objetivo desta compilação.

“Vocês estão prontos, crianças?”
“Estamos, capitão!”

Bob Esponja, abertura

Dicas de Narrativa: Como Cuidar do seu NPC

Olá, pessoal!

Essa semana, vamos dar continuidade às nossas dicas de narrativa que iniciamos com o Dicas de Narrativa: Gênesis – O Céu e a Terra.

Hoje, iremos falar sobre a criação de personagens, mas não quaisquer personagens e sim os nossos queridos NPCs, aqueles que moldamos do barro com nossas próprias mãos e que devem servir a uma função narrativa em nosso jogo. Enquanto nosso próximo artigo será dedicado com detalhes e dicas importantes sobre como ajudar seus jogadores caso eles tenham dificuldade em criar um personagem e a manutenção desses PCs (playable characters) na sua história, hoje nós iremos conversar um pouco sobre os nossos próprios personagens em nossas campanhas e sua importância na narrativa.

Dicas de Narrativa: Gênesis – O Céu e a Terra

Olá, pessoal!

Inicialmente, gostaria de me desculpar por ter sido tão apressada na semana passada e esquecido até de apresentar a mim e a minha coluna, como fui lembrada pelo Lipe! Eu sou a Cammy Nuwanda, jogadora de RPG por muito tempo, me atrevendo inclusive a narrar algumas aventuras volta ou outra por aí. Como tenho bastante experiência principalmente em Fóruns, onde se faz muito necessário conciliar sistema com uma narrativa mais rica e trabalhada, assim como é necessário um jogo de cintura para improvisação, esta coluna será voltada para ajudar princialmente os iniciantes no mundo da narrativa, tantos os mestres quanto os próprios jogadores, a mergulhar em campanhas que sejam divertidas e recompensadoras para ambas as partes!