Toda rolagem importa!

E a Espaço Mítico de hoje retorna às origens com mais um artigo sobre narração! Dessa vez trago a vocês leitores, uma preocupação mecânica relativamente nova, mas que vem sendo discutida e aplicada em diversos RPGs indies e mainstream ao longo dos últimos anos: Toda rolagem importa.

Tokyo Ghoul para FAE

Olá Galerinha!
Parabéns atrasados a todos os nossos amigos Nerds! Que esse 25 de maio tenha sido fantástico para todos, com muita diversão! Agora, vamos revisar os itens de nossa mala: escova de dentes, coca cola, sabre de luz, nintendo 3ds, camisa “BAZINGA!”, mangas, muitos botons, DVDs do Star Trek, dados mágicos e por último, nossa velha e querida toalha.
Com as malas prontas, vamos viajar para um mundo obscuro, um mundo repleto de horror e com os mais saborosos tipos de cafés, nossa próxima parada é a Tóquio sobrenatural de Tokyo Ghoul.

Naruto para Savage Worlds: Parte II – Jutsus

Olá pessoas!
Em minha última postagem aqui no Santuário do Mestre, eu apresentei a primeira parte da minha adaptação de Naruto para Savage Worlds. Hoje vou direto ao ponto e, conforme prometi no final da postagem passada, começarei a falar sobre os Jutsus. Em mangás e animes do estilo shonen, é muito comum que seus personagens usem poderes especiais ou magias, tendo os seus nomes estilosos gritados a cada uso. Em Naruto não é diferente, e aqui eles são chamados de jutsus (que pode ser traduzido como “técnica”). Entre os mais famosos está a marca registrada do protagonista da série, a “Técnica do Clone das Sombras” ou Kage Bunshin no Jutsu, no original; um jutsu proibido que ele aprende logo no primeiro capítulo do mangá.

Naruto Savage Worlds: Personagens | Jutsus | Ninjutsus | Elementos | Kinjutsus e Médicos | Clãs | Equipamentos

Como Treinar Seu Sistema IV – Sobre Criar seu Sistema, OGLs, Creative Commons e outras Licenças

Olá,

Saudações, caríssimos 2d8 leitores! Nos capítulos anteriores eu falei sobre os cenários de D&D elaborados pela TSR e pela WotC – e dei uma aprofundada em um dos meus xodós no último capítulo, o “Masque of the Red Death” que apresenta regras para jogar D&D na Era Vitoriana. Eu pretendo, nos próximos capítulos, falar sobre outros cenários e, se possível, trazer adaptações para a 5ª edição – seja autoral ou alguma adaptação encontrada na internet. Porém, neste capítulo eu trago um assunto que surgiu em uma discussão que presenciei semana retrasada, sobre criação de um sistema próprio de RPG. Vou aproveitar e falar um pouco sobre a OGL, o Creative Commons e as demais licenças de alguns sistemas de RPG, sobre os quais muitas pessoas têm curiosidade de como funcionam e cujo conhecimento são essenciais para quem deseja criar seu próprio sistema.

Ficha de personagem para Mouse Guard FAE

Olá pessoal! A Espaço Mítico hoje faz uma aparição especial de domingo para trazer a vocês a ficha de personagem da adaptação de Mouse Guard para FAE. Para aqueles que perderam a postagem do material completo, basta clicar AQUI e sair jogando! O link para baixar a ficha produzida pelo poderoso Petras “Papai Smurf” podem ser encontrados no Mega.

Cada página permite imprimir duas fichas ao mesmo tempo que podem ser divididas facilmente. Vindo na versão colorida e Preto & Branco para facilitar impressão. Em nossa próxima postagem, publicarei alguns personagens prontos para usarem em um jogo rápido no estilo evento ou para aqueles que desejam apresentar o FAE a seus jogadores e uma aventura extra. Bom jogo a todos!

 

Aventuras baseadas nos personagens

Durante vinte anos mantive o hábito de reunir-me com os amigos uma vez por semana, para desenvolver narrativas fantásticas, na forma de sessões de RPG.

Posso afirmar, sem sombra de dúvida, que estes momentos foram extremamente significativos e que todos aprenderam muito salvando reinos, planetas e até mesmo o universo. Fizemos a história de muitos personagens, mas em todos estes anos, nunca criei um único personagem, cujos desejos direcionaram as tramas com as quais nos envolvíamos.

Nunca jogamos uma aventura ou campanha baseada em nossos personagens.

Naruto para Savage Worlds: Parte I – Personagens

Olá, pessoas!
Bem-vindos a mais uma quarta-feira no Santuário do Mestre. Semana passada foi bem atribulada para mim, e esta começou ainda mais ocupada, o que acabou por cortar boa parte do meu tempo livre para leitura e escrita. Mas isto não me impediu de participar na semana passada do Terças do RPG, o que já está virando rotina minha comentar sobre, seja por aqui ou no meu blog pessoal. De fato, minha mesa foi a única que ocorreu no evento, e a experiência foi extremamente satisfatória. Não vou entrar em detalhes, uma vez que a aventura que narrei será tema de uma postagem futura, por isso aguardem. Falando em postagens, em minha última aqui no site apresentei uma aventura one-shot e cinco fichas de personagem de Ryuutama para que vocês tenham uma melhor ideia de como funciona o sistema e possam testá-lo. Hoje, porém, resolvi voltar a um tema que já abordei no passado: adaptações. E a adaptação de hoje é mais do que especial, pois tratarei de um tema que domino bem. Estou falando de Naruto.

Naruto Savage Worlds: Personagens | Jutsus | Ninjutsus | Elementos | Kinjutsus e Médicos | Clãs | Equipamentos

Ravenloft – Masque of the Red Death and Other Tales

Olá,

Auspiciosa tarde, 2d8 leitores! Lembram sobre eu ter dito que ligaram a Adultessência no mode Nightmare? Pois é. A coisa ficou tão intensa e apertada que eu não tive tempo pra preparar algo pra coluna de hoje – e eu tinha sugestões boas, como a de glossário de termos que o Raphael Lima da coluna Nomos sugeriu para quem está começando nesse mundo teórico do RPG. Pra não deixar a coluna sem postagem, eu fui atrás de algum material que eu tinha publicado no Toca e lembrei desta “resenha” sobre o “Campaign Expansion: Masque of the Red Death”, suplemento de Ravenloft, que é o xodó dos xodós que tenho dentre os cenários da TSR para o AD&D.  Como no capítulo passado eu tinha feito um guia rápido sobre os cenários, acho que encaixaria bem colocar esta resenha. E é o que eu estou fazendo agora. 🙂

Oficinas Interativas

Olá, Camaradas!

 

Muita polêmica sobre RPG ocorreu nesse curto tempo de existência do ano de 2017 — como assim, curto tempo? Estamos quase no meio do ano. Em termos de tempo humano, os dias estão sendo mais curtos, não sei nem se as medidas de segundos, minutos e horas são as melhores formas de calcular o nosso dia. Como diria meu amigo Leish, são as atividades da adultessência ocupando todo nosso tempo, e pela primeira vez estou rabiscando essas linhas aqui de última hora, restando menos de doze horas para essa postagem ir ao ar. E enquanto estava envolto nesse texto, essa questão — que sempre nos ataca com sucesso crítico — me veio à mente: o tempo. E pretendo esboçar apontamentos em uma postagem futura, onde falaremos sobre o tempo e as atividades de RPG, pensando em como conciliar o hobby com a nossa vida.

Discworld para Fate Acelerado

Olá, galerinha!

Aproveitando esse feriadão, resolvi organizar as prateleiras com jogos e livros, a papelada das campanha, one-shots e adaptações. No meio de todas as coisas, encontrei um velho one-shot onde que narrei uma adaptação bem divertida e resolvi modificá-la e apresentar para vocês.

Nossa viagem vai nos levar a um mundo inquieto que navega pelas correntes do universo, nas costas de uma grande tartaruga. Aqui, os deuses, apesar de serem pequenos, não deixam de ser grandes, os bárbaros escrevem livros, as cabeleireiras são heroínas e os sacrifícios adoram ser sacrificados.

Então, amigos, apertem bem seus cintos e guardem bem suas magias para que elas não fujam; nossa próxima parada é o Discworld.