Diário de Sessão: Starfinder do Mesa de Encontros

E esta semana, na Taverna no Fim do Multiverso, segue o resumo de campanha da sessão zero e da primeira sessão de uma campanha de Starfinder enviada pelo Matheus Medvedeff do Mesa de Encontros.

Deseja participar da Taverna no Fim do Multiverso? Confere o Regulamento!

A Ferro e Fogo: Shenlong RPG (Terceira Parte)

Olá,

Eu sou o Leishmaniose e está é a coluna Lugar Nenhum do site do Mundos Colidem. E no capítulo de hoje, trago a terceira parte do Shenlong RPG, um hack para jogos do gênero Wuxia utilizando a 5E, a engine do D&D 5ª edição.

Índice do Shenlong RPG:

Parte I: Prelúdio, Código Social, Proposta, Ritmo, Horizonte, Alinhamento e Interlúdio.

Parte II: Conceito, Antecedentes, Distinções, Atributos e Raças.

Parte III: Classes.

Parte IV: Habilidades.

Parte V: Equipamentos.

Parte VI: Relíquias.

Nova Amsterdã: Medo, Loucura e Insanidade em Old Dragon

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima

Nesta terceira aparição do ano do Javali da Caixa do Lima, vamos falar sobre medo, loucura e insanidade em Nova Amsterdã, mas usando um outro sistema. Quem acompanha essa coluna, e leu a nossa última postagem, Diário de um Game Designer #Parte 1 e conseguiu decifrar a pista, recupere dois pontos de sanidade. Então aconselho a vocês checarem suas armas, decorarem seus melhores encantos e se prepararem para enfrentar criaturas que estão além da imaginação dos mortais: Abissais, Shoggoths e Crias Negras de Shub-Niggurath.

Esta semana, vocês entrarão em Nova Amsterdã, uma cidade que mais parece um vilarejo no nordeste brasileiro, onde o horror transborda na forma do Mythos lovecraftiano.

Agora nas regras do Old Dragon, o queridinho sistema nacional da editora Redbox.

Codex Seraphinianus, uma fonte de inspiração para seu RPG!

Olá aventureiros, tudo certo? Bem vindos! Eu sou o Eduardo Vieira do DM’s Party e hoje convido todos a conhecerem e embarcarem comigo nessa viagem pelo Codex Seraphinianus, um livro que com certeza vai garantir inspiração para sua aventura! Tirei desse livro diversas ideias para usar nas missões recentes em Ravenloft (enigmas e sonhos) e no Underdark (plantas e animais) e até hoje é uma ferramenta importante para mim como fonte de inspiração.

A Ferro e Fogo: Shenlong RPG (Segunda Parte)

Olá,

Eu sou o Leishmaniose e esta é a coluna Lugar Nenhum do site do Mundos Colidem. E no capítulo de hoje, trago a segunda parte do Shenlong RPG, um hack para jogos do gênero Wuxia utilizando a 5E, a engine do D&D 5ª edição.

Índice do Shenlong RPG:

Parte I: Prelúdio, Código Social, Proposta, Ritmo, Horizonte, Alinhamento e Interlúdio.

Parte II: Conceito, Antecedentes, Distinções, Atributos e Raças.

Parte III: Classes.

Parte IV: Habilidades.

Parte V: Equipamentos.

Parte VI: Relíquias.

Diário de um Game Designer #Parte1

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

Nesta segunda aparição do Ano do Javali da Caixa do Lima, nosso espaço de diálogos quinzenais no Mundos Colidem, venho motivado pela inquietação de alguns amigos, que pediram ajuda nessa empreitada de criar jogos. E os pedidos ficaram martelando em minha cabeça, enquanto preparava uma outra postagem — deixarei uma pista para ela ao longo do texto, e os que descobrirem podem postar no comentários.

Então, neste texto vamos tentar dar uma ajuda à galerinha que deseja se aventurar pelos caminhos de escrever jogos. E pretendo tentar dar uma luz com base na minha experiência no fazer jogos e suas mecânicas, mas longe de afirmar que o construir mecânicas e propostas tenha uma ferramenta única, tal como uma receita de bolo. Vamos começar com algumas dicas sobre o caminho que devemos seguir, para iniciar o processo.

Vale da Glória: Microcenário para Savage Worlds

Olá, Galerinha!

Sejam bem vindos à Estação das Brumas. Em nosso último encontro, eu trouxe para vocês o conceito de panteão que venho usando em minha campanha para Savage Worlds. Desta vez, apresento uma região que fiz para a campanha e que vocês podem usar em qualquer cenário. E claro, com qualquer sistema de regras.

Para ficar de fácil entendimento, segui o modelo de apresentação visto nos livros de Dungeons & Dragons.

Sejam bem vindos ao Vale da Glória!

A Ferro e Fogo: Shenlong RPG (Primeira Parte)

Olá,

Feliz Ano Novo, 2d8 leitores! Eu sou o Leishmaniose e neste primeiro capítulo do Lugar Nenhum de 2019, estarei apresentando um capítulo da série A Ferro e Fogo, trazendo a primeira parte de um hack para jogos do gênero Wuxia para a 5E, a engine do D&D 5ª edição: o Shenlong RPG!

Índice do Shenlong RPG:

Parte I: Prelúdio, Código Social, Proposta, Ritmo, Horizonte, Alinhamento e Interlúdio.

Parte II: Conceito, Antecedentes, Distinções, Atributos e Raças.

Parte III: Classes.

Parte IV: Habilidades.

Parte V: Equipamentos.

Parte VI: Relíquias.

Construindo Personagens e Cenários em Crianças Enxeridas

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

Retornamos a esta caixa de ideias em sua primeira aparição deste ano, da forma como terminamos o ano passado: falando sobre jogos autorais do Mundos Colidem. E já que o papo é sobre as nossas produções, vamos logo trazendo notícias sobre um dos jogos mais esperados deste coletivo, sim, senhoritas, senhoras e senhores, estamos falando do Nova Amsterdã (NA), um cenário que traz o mythos de Lovecraft para o Nordeste brasileiro durante a dominação holandesa, usando o sistema do Fate Acelerado.

E se você ainda não sabe o que é o Nova Amsterdã e ficou curioso com a sua proposta, este é o momento para aprender mais sobre ele.

Vamos às atualizações do NA: o texto está concluído e revisado, assim como as ilustrações feitas pelas mãos do talentosíssimo Miguel Rude e de algumas ilustrações adicionais de Leander Moura (como o mapa de Nova Amsterdã) e do Daniel Júnior (O Observador). O livro encontra-se em processo final de diagramação, sob a batuta do renomado Dan Ramos, correndo o risco de ficar pronto antes deste texto chegar ao conhecimento de vocês (calma, nós vamos dar uma segurada para ele só vir depois). Assim que o arquivo digital estiver concluído e passar pela avaliação final da equipe, ele será disponibilizado nas lojas virtuais do MC.

Mas enquanto isso não acontece, vamos falando de outros jogos autorais do coletivo — e nessa postagem, vamos conversar sobre Crianças Enxeridas.

Um Panteão para Savage Worlds

Olá, Galerinha! Sejam bem vindos à Estação das Brumas. Mil desculpas pelo hiato prolongado, mas o tempo está bastante curto ultimamente devido às responsabilidades do dia a dia. Contudo, finalmente consegui um tempinho, então aproveitei o período de férias e pus a mão na massa.

Savage Worlds é um sistema bem versátil, apreciado há bastante tempo por mim e outros autores aqui do Mundos Colidem. Comecei a jogá-lo desde o lançamento da primeira edição pela Retropunk Editora. É um sistema genérico que possui muito material e com vários suplementos, com bastante material publicado pela editora e produzido por fãs.

Há um tempo atrás eu comecei a narrar uma campanha de fantasia medieval e após consultar o suplemento de fantasia, percebi que é possível criar um panteão de forma bem simples para o jogo. Porém, senti falta de alguns elementos norteadores como os vistos em outros RPGs de fantasia medieval. O nosso encontro de hoje tem como proposta apresentar um panteão que utilizo em minha campanha, para mostrar como é fácil construir o seu próprio panteão.