Mundos Colidem na FLIQ 2019

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima. E no capítulo desta semana da Caixa do Lima, vamos conversar sobre a Oficina de RPG que realizamos na FLIQ Natal 2019, que foi um evento muito especial para o coletivo Mundos Colidem, com muitas emoções e momentos divertidos e onde tivemos uma receptividade maravilhosa da organização do evento. E como dizem que a primeira impressão é a que fica, é justamente o que podemos dizer da FLIQ.

Quando nos aproximávamos da sala de oficinas, encontramos uma fila e pensamos: “essa galera não pode está esperando para jogar RPG, com certeza não”. Sim, a fila era para participar da Oficina de RPG, e já aproveito o ensejo para pedir desculpas ao pessoal que não conseguiu uma vaguinha — tínhamos apenas 20 vagas, para os mais de 40 visitantes que procuraram a sala de oficinas do evento para rolar uns dados com os nossos mestres.

Utilizando regras para passagem de tempo ou como não ficar no tédio nas cidades

Seja muito bem-vindo à nossa prolongada subida nessa Torre do Destino que segue sua alçada, eu sou João D e seguirei caminhando nessa aventura em linha reta com você caro leitor para novas salas nesse edifício. Continuarei falando sobre a temática mais recorrente por aqui. Se você pensou em Dungeons and Dragons 5ª edição você não está tão errado assim, mas na verdade eu gosto mesmo de entender regras. Nesse nível vou falar de um dos meus suplementos preferidos da 5ª edição: Xanathar Guide to Everything (XGtE). Mais focado nas regras de downtown time, seguindo as ideias das postagens anteriores. Vamos nos divertir nas cidades?

Mudando Ritmos de Jogos de D&D – Parte 2: Quando os descansos não são suficientes

Na entrada do novo nível da Torre do Destino eu, João D, seu guia nessa subida prolongada te levo a nova entrada ainda bem parecida com o nível anterior. Devo admitir que gostei de escrever sobre o Descansos longos e mais longos ainda e vou continuar comentando outras regras variantes para D&D 5ª edição, que são apresentadas no Livro do Mestre (DMG) ou outros livros oficiais, e como isso afeta o jogo. Aviso logo que a postagem anterior é uma leitura muito recomendada para começar a ler esta também. Vamos falar sobre recuperações, o grande motivo de se fazer os descansos.

Primeiras Impressões do Karyu Densetsu ou Enfrentando o Dragão de Fogo

Ao nos depararmos com o quinto nível da Torre do Destino, nos livramos do desafio de compreender atributos do Dungeons and Dragons 5ª Edição. Dessa vez, com um olhar mais voltado para análise do jogo do que para minúcias de sistema, vamos falar sobre Karyu Densetsu. Financiado coletivamente no ano passado, Karyu Densetsu é um RPG nacional voltado para jogos com temática de animes seinen cujo lançamento ocorrerá em breve. Vamos então falar um pouco da minha experiência com o Karyu?

Analisando o atributo Carisma ou como pensar personagens expressivos em D&D 5ª edição

Sejam bem-vindos aventureiros e leitores para, finalmente, o quarto nível da Torre do Destino onde analisaremos o último atributo em Dungeons and Dragons 5ª edição, a Carisma, um antigo problema de D&D. Até então já mostrei minha visão sobre o Atributo de Inteligência, os Atributos físicos e a Sabedoria, os quais recomendo a leitura antes de seguirem adiante. Claramente, os atributos mentais geram um par de discussões mais interessantes sobre como eles refletem características mais sutis e intangíveis dos personagens.

Então, vamos à conclusão?

Analisando Sabedoria, ou como representar personagens instintivos em D&D 5ª edição

Caros leitores e aventureiros, na subida da nossa Torre do Destino, sejam bem-vindos ao terceiro e penúltimo nível sobre minha análise de atributos no D&D 5ª edição. Nesta nossa empreitada inicial já falei sobre meus pensamentos quanto ao atributo de Inteligência e quanto aos Atributos Físicos e suas relações. Seguirei para falar agora de cada um dos atributos mentais que faltam. Mais uma vez, aproveito para lembrar que essa é minha visão do sistema e com isso pretendo gerar um espaço para conversas e discussões sobre o tema. Quem sabe novas ideias de criação não surgem a partir disso?

Então… Vamos em frente?