Isekai e sua relação com o RPG

Olá pessoas!

Aqui é o Tio Lipe e bem-vindos novamente ao Santuário do Mestre. Eu conheço e assisto animes desde a minha infância, mas foi somente em 2015 que resolvi assisti-los com maior frequência, acompanhando sempre que possível aqueles que estão sendo lançados nas temporadas. Foi assim que acabei conhecendo Overlord, uma adaptação da light novel de mesmo nome que me surpreendeu e até hoje sou fã. A fim de descobrir mais sobre a obra, acabei me deparando com outras do mesmo gênero e logo percebi uma tendência em minhas leituras: os Isekai.

Mas afinal, o que é Isekai e como ele se relaciona com o RPG?

Como Treinar Seu Sistema V – Atributos, Abordagens, Perícias, Habilidades, Características e otras cositas mas.

Olá,

Salve, Salve, 2d8 leitores! Eu sou o Leishmaniose e no capítulo do Lugar Nenhum desta semana, estarei trazendo um novo capítulo da série Como Treinar Seu Dragão Seu Sistema (série de postagens iniciada em 2017 com uma abordagem mais voltada para hacks e modificações de sistemas, cujos capítulos anteriores você pode encontrar aqui: Adaptando Regras (clique aqui); Entre Testes e Resultados (clique aqui); Aspirações e Objetivos (clique aqui); Sobre criar seu sistema, OGLs, Creative Commons e outras licenças (clique aqui). E neste quinto capítulo eu abordarei sobre os “stats” (também chamados de atributos, abordagens, características, habilidades, profissões, perícias, valores ou outros nomes dependendo do sistema) e como deixá-los mais maleáveis de acordo com o que você espera em seus jogos.

Como apresentar “sistemas pesados” a jogadores iniciantes

Saudações, aventureiros.

Após uma semana de quinze dias, retorno ao Enclave do Arquimago, e no artigo de hoje vou falar um pouco sobre como tenho apresentado sistemas considerados pesados à jogadores iniciantes, dentro do projeto Mundos de Dados e Papel, que coordeno na Instituição de ensino que leciono.

Como Treinar Seu Sistema IV – Sobre Criar seu Sistema, OGLs, Creative Commons e outras Licenças

Olá,

Saudações, caríssimos 2d8 leitores! Nos capítulos anteriores eu falei sobre os cenários de D&D elaborados pela TSR e pela WotC – e dei uma aprofundada em um dos meus xodós no último capítulo, o “Masque of the Red Death” que apresenta regras para jogar D&D na Era Vitoriana. Eu pretendo, nos próximos capítulos, falar sobre outros cenários e, se possível, trazer adaptações para a 5ª edição – seja autoral ou alguma adaptação encontrada na internet. Porém, neste capítulo eu trago um assunto que surgiu em uma discussão que presenciei semana retrasada, sobre criação de um sistema próprio de RPG. Vou aproveitar e falar um pouco sobre a OGL, o Creative Commons e as demais licenças de alguns sistemas de RPG, sobre os quais muitas pessoas têm curiosidade de como funcionam e cujo conhecimento são essenciais para quem deseja criar seu próprio sistema.