Boku no Hero – Ficha de 5 vilões

Olá, galerinha!

Eu sou Helio Alcantara, mais conhecido como Helinho do Nipom! Sejam todos bem vindos ao nosso cantinho além do tempo e do espaço, na Estação das Brumas. Após a postagem de Boku no Hero Academia para Fate Acelerado, alguns amigos perguntaram como eu faria as fichas dos personagens do anime. Eu trouxe as fichas da turma 1-A, para vocês usarem em suas campanhas. Contudo, o tempo ficou curto e acabou que não conseguimos dar continuidade aos demais personagens. No entanto, agora com um pouco de tempo livre, trago para vocês cinco vilões para usarem em suas campanhas. Então, vamos seguir em frente.

Nova Amsterdã: Os Mythos Invadem o Nordeste Holandês

O escritor H.P. Lovecraft povoou o imaginário de muitos leitores, principalmente o de muitos rpgistas, com seus contos de horror cósmico. Nos jogos, essa influência se deu por meio do famoso RPG “O Chamado de Cthulhu” e dele derivaram os mais diversos materiais de cenários de campanhas e suplementos. Até mesmo o mais famoso cenário de fantasia medieval brasileiro, Tormenta, carrega bastante de sua literatura com seus monstros rubros alienígenas capazes de enlouquecer suas vítimas.
Mas imaginem juntar os mythos da literatura de Lovecraft com a história do Brasil. Não sabe como isso ficaria? Então você precisa conferir o Nova Amsterdã RPG, cenário autoral de Raphael Lima e Gilberto “Joka” Olimpio, onde o folclore se mistura com os Mythos de Lovecraft, numa amálgama digna dos mais terríveis Shoggoths.

Nova Amsterdã: o minijogo

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima

Nesta quarta aparição do ano do Javali da Caixa do Lima, vamos falar mais sobre Nova Amsterdã (NA), e desta vez, trazendo um spoiler que tem ecoado nas redes sociais na última semana e que foi totalmente confirmado em uma entrevista para o Nerd Notícias.

Então, leitores desta mal assombrada coluna, chequem suas armas, decorem seus melhores encantos e se preparem para enfrentar abissais, shoggoths e crias negras de shub-niggurath em Nova Amsterdã, mas agora usando o nosso sistema mínimo, carinhosamente apelidado (por ainda não ter um nome) de Lima System.

A Ferro e Fogo: Fate Quest

Olá,

Saudações, 2d8 leitores! Eu sou o Leishmaniose e no capítulo do Lugar Nenhum desta semana, estarei trazendo um capítulo da série A Ferro e Fogo, trazendo um hack de Fantasia Medieval para o sistema do Fate: o Fate Quest!

Brigada Ligeira Estelar para Fate

Olá,

Saudações, 2d8 leitores! Eu sou o Leishmaniose e no capítulo do Lugar Nenhum desta semana trarei uma adaptação do cenário de Brigada Ligeira Estelar para o Fate — sim, o Fate, que tem uma licença Creative Commons, muito mais amigável que algumas licenças escrotas, como aquela do Cortex Prime (clique aqui se quiser saber mais sobre como funcionam as licenças de sistemas de RPG).

Medievo RPG: Fantasia Medieval na Baixa Idade Média para Fate/FAE

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

Essa semana na Caixa do Lima, vamos voltar a falar sobre o Fate, aproveitando o ensejo da postagem do Joka na Coluna Espaço Mítico, onde ele veste seu manto de caçador de mitos, munido de sua lupa e alguns dados fate e desmistifica a lenda urbana de que o Fate Básico e o Fate Acelerado são dois sistemas diferentes.

Usando de muitas citações do Fred Hicks, um dos co-criadores do Fate, ele garante que o Fate Acelerado é uma condensação do Fate Básico, apresentado uma ou duas maneiras diferentes de se jogar, mas é o mesmo jogo. Apesar de algumas pessoas ainda acreditarem que possam ser dois jogos diferentes, o Hicks deixa bem claro que não.

Ainda escutamos algumas argumentações sobre o assunto, reinterpretando as palavras do Hicks e justificando que são dois sistemas completamente diferentes, mas em tempos quando que as argumentações assumem níveis bem complexos, e solicitam rolagens de sanidade,  tais como as que temos observado nas últimas semanas, “Os alemães não entende de nazismo”, “Fukuyama é comunista”, “Roger Waters não entende a letra de Another Brick in the Wall” e com todo esse contexto, podemos ter um… “Fred Hicks não entende de FATE” nos comentários.

Então, com base na postagem do meu companheiro Jokinha, compartilho com vocês uma adaptação do Medievo RPG, que foi a minha primeira experiência como game designer para Fate Básico e Fate Acelerado.

Desmistificando o Fate e o FAE

Salve, Salve aventureiros! Aqui é o Joka e a coluna Espaço Mítico desta semana tratará de um assunto um tanto quanto controverso e confuso. Seria o FAE (Fate Acelerado) um jogo menos completo que o Fate?

Como Treinar Seu Sistema V – Atributos, Abordagens, Perícias, Habilidades, Características e otras cositas mas.

Olá,

Salve, Salve, 2d8 leitores! Eu sou o Leishmaniose e no capítulo do Lugar Nenhum desta semana, estarei trazendo um novo capítulo da série Como Treinar Seu Dragão Seu Sistema (série de postagens iniciada em 2017 com uma abordagem mais voltada para hacks e modificações de sistemas, cujos capítulos anteriores você pode encontrar aqui: Adaptando Regras (clique aqui); Entre Testes e Resultados (clique aqui); Aspirações e Objetivos (clique aqui); Sobre criar seu sistema, OGLs, Creative Commons e outras licenças (clique aqui). E neste quinto capítulo eu abordarei sobre os “stats” (também chamados de atributos, abordagens, características, habilidades, profissões, perícias, valores ou outros nomes dependendo do sistema) e como deixá-los mais maleáveis de acordo com o que você espera em seus jogos.

Star Wars para Fate Acelerado

Olá! Eu sou Rafael Oliveira e esse é meu primeiro artigo de RPG (espero que de muitos) aqui no Mundos Colidem. Apresento pra vocês hoje a adaptação para Fate do jogo Star Wars – Fronteiras do Império, originalmente publicado pela Fantasy Flight nos Estados Unidos e trazido pelo Brasil em português pela Galápagos Jogos. Tanto esse artigo como a adaptação teve ajuda do pessoal do Mundos Colidem e de grupos de RPG do Telegram e Facebook.

Nova Ifé (Afro-Rangers) para FATE e FAE.

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

No episódio dessa semana da Caixa do Lima, o papo é sobre Nova Ifé, um micro-cenário desenvolvido para o Concurso Alphaversos, que ocorreu no último carnaval, organizado pela galera do site RPGista. Foi uma experiência muito divertida, onde boa parte dos integrantes do Mundos Colidem participaram, e todos nós ficamos no Top 10 do concurso, como relatado pelo Leishmaniose em sua postagem Concurso Alphaversos – Indo ao encontro do mais forte.

O cenário que eu escrevi no concurso é o Afro-Rangers, que inclusive já foi publicado na Caixa do Lima a sua versão para 3D&T, e em uma versão para Savage Worlds. Mas, hoje, a pedidos de alguns leitores desta pequena caixa de ideias, vou trazer uma versão do cenário para os amantes do sistema FATE, seja o Básico ou o Acelerado. Vamos lá?