Mudando Ritmos de Jogos de D&D – Parte 2: Quando os descansos não são suficientes

Na entrada do novo nível da Torre do Destino eu, João D, seu guia nessa subida prolongada te levo a nova entrada ainda bem parecida com o nível anterior. Devo admitir que gostei de escrever sobre o Descansos longos e mais longos ainda e vou continuar comentando outras regras variantes para D&D 5ª edição, que são apresentadas no Livro do Mestre (DMG) ou outros livros oficiais, e como isso afeta o jogo. Aviso logo que a postagem anterior é uma leitura muito recomendada para começar a ler esta também. Vamos falar sobre recuperações, o grande motivo de se fazer os descansos.

É possível ter uma experiência “Old School” com o D&D 5e?

Olá Aventureiros ! Eu sou o Mestre Quiral do DM’s Party, e esta é a coluna da Festa dos Mestres no Mundos Colidem. No capítulo de hoje eu resolvi trazer uma discussão de proposta para se jogar D&D 5e, com uma pegada Old school. Mas antes de iniciar essa proposta, eu trago alguns pontos para contextualizar.

O básico sobre maldições

Saudações, aventureiros.

Inspirado pelo jogo The Witcher 3: Wild Hunt, hoje vou trazer à pauta um elemento muito interessante das histórias de fantasia e que poderiam ganhar ainda mais espaço nas mesas RPG: as maldições.

Neste artigo apresento as mais relevantes referências sobre maldições contidas nos três livros básicos da quinta edição de D&D e apresento os três principais tipos de maldições, de acordo com o Cenário de Campanha de Ravenloft.