Moana: Um Mar de Aventuras para Fate Acelerado – Parte IV

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

Essa semana na Caixa do Lima, após um pequeno hiato devido a atividades acadêmicas do curso de História que necessitaram de toda a minha atenção, suor e sangue, retorno com as adaptações para Fate Acelerado, e dessa vez com a continuação de uma antiga e querida, que escrevi em meados de 2017, e que teve uma grande influência dos meus filhos na sua produção. Quem já anda por aqui há algum tempo, sabe que o FAE é o meu sistema queridinho, que apesar da preferência faz tempo que não dá as caras por aqui. Lima, Fate Acelerado? Sim, se é a primeira vez que você vê algo sobre Fate aqui no Mundos Colidem, sugiro dar uma olhada no nosso Índice Fate Mundos Colidem, o nosso catálogo desatualizado das postagens que envolvem o maravilhindo sistema da Evil Hat, lançado no Brasil pela Solar Entretenimento.

Voltando ao tema da postagem, a animação da Disney que chegou às telonas em janeiro de 2017, encantando (e hipnotizando) crianças de todo o mundo e também os meus filhotes. Para os recém chegados, eu tenho dois filhos, Marianna (sete anos) e o Theo (três anos) e os que acompanham a nossa produção autoral já devem ter visto os nomes deles em diversos exemplos de jogos que seguem nos textos sobre “O que é RPG?”, juntamente com o nome do Thales, filho do Grand Papai Smurf, Petras Furtado.

Em meados de 2017, quando Mari estava assistindo o filme a pleno vapor e cantarolando as canções pela casa (sim, elas pegam em nossa cabeça. É a magia da Disney), e estávamos tendo as primeiras experiências com as narrativas de RPG com a nega (em 2018 tivemos a nossa primeira campanha, usando o Hora da Aventura RPG da Nosolorol e distribuído no Brasil pela Retropunk), me vi empolgado para escrever uma adaptação do filme para o Sistema Fate Acelerado, e após dois anos, agora com Theo retomando a assistir o filme, noto que podia fazer uma quarta e última parte (mentira já estou pensando na quinta parte), uma sugestão simples mas que pode ser de grande auxílio quando se vai narrar uma aventura de RPG, sim estamos falando de tabelas geradoras de eventos.

Índice Moana: Um Mar de Aventuras para Fate Acelerado

Parte 1 – Fichas de Personagens, Abordagens e Regras de Navegação;

Parte 2 – Tipos de embarcações;

Parte 3 – A Tempestade e Perseguição no Mar;

Parte 4 – Eventos do Cotidiano da Comunidade.

Tabela para situações cotidianas da comunidade

Em diversas comunidades ancestrais ao redor do mundo, há a cultura de que todos os seus membros devem ser versados em todas as profissões e os afazeres da comunidade, embora muitas atividades ainda sejam divididas na hierarquia do gênero sexual, mas no final, todos os membros do grupo devem saber realizar todas as atividades necessárias para a sobrevivência e para o funcionamento harmônico do dia a dia da comunidade. Devido a esse aspecto, característicos de muitos desses grupos, e como o sistema se utiliza dos aspectos, optei pela escolha de transformar as abordagens em profissões que emulam todas as necessidades do cotidiano e que foram apresentadas na primeira postagem da adaptação, cujo o link está no índice lá em cima.

Essa escolha por transformar as abordagens em profissões, foi o motor imóvel para a construção do Potiguares: os moradores do Rio Grande do Norte, um RPG minimalista de minha autoria que tenta emular situações do cotidiano de uma comunidade indígena no estado do Rio Grande do Norte. Minijogo que utilizei em minhas aulas sobre populações nativas do estado, e até em uma atividade com os alunos do curso de História da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Ao optar por transformar abordagens em profissões, não inventei a roda, tendo em vista que tal técnica foi utilizada no Jadepunk (que ainda preciso narrar uma aventura).

Nos primeiros minutos do filme, antes da fuga da Moana em busca do Mauí, notasse que há inúmeras atividades e problemas que surgem no cotidiano da comunidade. A ideia é criar uma tabela que apresente situações que necessitam ser solucionadas pelos jogadores, utilizando suas profissões e o trabalho em grupo. Para saber quais situações irão ser desencadeadas durante um dia, o narrador vai rolar dois dados fate e observar os resultados em uma tabela.

Gerador de Eventos

O gerador de eventos é uma tabela para auxiliar o narrador na construção de uma aventura rápida, algo comum a muitos RPGs. Basta rolar 2 dados FATE em cada coluna para montar a estrutura da sua aventura.

Role 2dF
resultadoProblemaClimaLocal
+2Comida EstragouAgradávelComunidade
+1Plantação DestruídaChuvaLugar Sagrado
0Fome ou SedeCalorFloresta
-1Doença na ComunidadeVentos FortesMontanhas
-2InvasorFrioMar ou Rio

Exemplo de evento: (-1) Doença na Comunidade, (-2) Frio e (+1) Lugar Sagrado.

Exemplo de descrição: Com a chegada do inverno, um frio fora do comum atacou a comunidade, muitos habitantes acreditam ser um castigo dos deuses, com a chegada do frio, uma doença misteriosa ataca os idosos, e os deixam com febre alta, tremores e alucinações. No meio dos delírios dos idosos, eles sussurram sobre um planta que cresce nas ravinas do platô dos chefes, um lugar sagrado na grande montanha, e que floresce apenas no inverno, contra todas as condições. Os personagens precisam conseguir a autorização do chefe para subir até um local sagrado em busca da planta que pode salvar a vida dos idosos da comunidade.

Essa tabela não é um trilho, mas uma trilha para auxiliar na introdução da aventura, pois se você quer narrar Moana, com certeza estás pensando em uma grande jornada mar adentro em busca do semi-deus da água e do ar ou de outra divindade que pode solucionar um problema de ordem mitológica da sua comunidade.

Cuidado com os Kakamoras.

Quero narrar Fate, mas preciso de material!

Encerrando essa postagem, gostaria de direcionar as palavras finais para a galera que deseja narrar ou jogar Fate. Nos primeiros meses de 2019, tenho observado uma procura de jogadores querendo narrar ou conhecer mais sobre o Fate, e sim, concordo com muito de vocês que o texto do sistema não é muito legal com o iniciante (vejo foices e forcados?), e ele se torna mais amigável no entendimento a partir do momento que você joga, com alguém experiente no sistema, o que foi o caso com os apaixonados pelo Fate do Mundos Colidem, tivemos a nossa iluminação, nas mesas de Vingadores, Star Trek e Cthulhu Tech do Grand Papa Petras Furtado.

Primeiramente recomendo a leitura de dois artigos que escrevi com esse propósito em 2017 e 2018…. A Aventura vai começar – Parte 1 e A Aventura vai começar – Parte 2. E no segundo momento recomendo a visita do Índice Mundos Colidem para FATE que contém uma listagem (des)organizada das adaptações do Mundos Colidem. E por último, visitem a seção de Downloads do Mundos Colidem, onde temos adaptações completas em um PDF fechadinho e maravilhoso, como Avatar: A Lenda de Aang, Shadowrun e Mouse Guard. Fichas para Fate Básico, Acelerado e Fractal. E fichas de personagens: Vingadores, Guardiões da Galáxia, Jovens Titãs, Pokémon, Vilões da Marvel entre outros.

Temos tudo para você dar os primeiros passos como jogador e narrador no sistema Fate. É só baixar, separar alguns dados, juntar os amigos e viver inúmeras aventuras. E não deixem de jogar de conhecer as produções autorais do Mundos Colidem. O feedback dos leitores é muito importante.

Até breve!

Deixe uma resposta