Primeiras Impressões do Karyu Densetsu ou Enfrentando o Dragão de Fogo

Ao nos depararmos com o quinto nível da Torre do Destino, nos livramos do desafio de compreender atributos do Dungeons and Dragons 5ª Edição. Dessa vez, com um olhar mais voltado para análise do jogo do que para minúcias de sistema, vamos falar sobre Karyu Densetsu. Financiado coletivamente no ano passado, Karyu Densetsu é um RPG nacional voltado para jogos com temática de animes seinen cujo lançamento ocorrerá em breve. Vamos então falar um pouco da minha experiência com o Karyu?

Uma iniciativa de Thiago Rosa e Nina Bichara, o Karyu Densetsu é, como diz os autores, “um RPG de mesa sobre mangás seinen de ação. É um jogo sobre combates táticos, conversas filosóficas e ideais apaixonados. É um jogo sobre a alma humana, sobre como ela é o combustível de paixões e a arma mais poderosa de todas”. E nada disso é exagero.

Numa pegada bem dinâmica, as crônicas do dragão de fogo trazem regras que tentam se aproximar com precisão da pegada de animes de ação. Quem me conhece como jogador e mestre sabe como gosto de jogos mais fluídos e dinâmicos para jogar cenários de animes. Combates que tem uma ideia de velocidade nas resoluções, onde suas ações são impactantes e as compreensões de poder crescem se aproximam como uma boa analogia às características de animes.

Cenário

Como forma de adaptar um cenário mais abrangente de animes, o jogo traz um cenário próprio. Após um desastre no final do Século XX, o mundo vê aparições mais frequentes de monstros e a necessidade cada vez mais importante do desenvolvimento espiritual daqueles que tentam protegê-lo. O clã Karyu ganhou fama e destaque após defender a Terra do ataque do Ifrit e tornou-se um expoente nas artes marciais que utilizam nagem. Yuzas cada vez mais poderosos vem surgindo dentro do clã.

A riqueza do cenário se encontra nas muitas possibilidades para os jogadores. Explorar portais para o outro mundo protegidos por uma pequena cidade mexicana, ou auxiliar as indústrias Tolwyn a descobrir novos materiais para tecnologias mais desenvolvidas utilizando o nagem são possíveis aventuras para os jogadores. Com uma consciência bem clara das características do cenário, não foi difícil apresentar aos jogadores os conceitos principais.

Mas a estrela do cenário está na aproximação com os animes de ação seinen. Com um grande torneio de artes marciais que ocorre anualmente, envolvendo influência política, dinheiro e mesmo o orgulho pessoal de cada competidor, o Circuito Mundial de Luta salta aos olhos dos jogadores quando ouvem a primeira vez sobre sua existência. A oportunidade de participar de um clássico torneio de artes marcais ao melhor estilo de Dragon Ball e Street Fighter é muito tentador para os jogadores, e divertido para o mestre.

Sistema

O jogo tem como mecânica principal uma pilha de dados (em geral d6) que cresce com a evolução do personagem, mas a cada jogada da pilha se utiliza apenas dois valores para o seu resultado final. A vantagem desta mecânica está na decisão do jogador em qual dos resultados ele irá manter. Resultados muito ruins (valor 1) não utilizados acabam aumentando a pilha de tensão, uma pilha de dados usada pelo mestre de modo a tornar a narrativa mais dinâmica. Enquanto resultados muito bons (valor 6 ou mais) não utilizados acabam se tornando dados de sincronização para os jogadores, que podem futuramente ativar poderes especiais ou melhorar as rolagens.

Com uma simples mecânica de escolha dos resultados, a força do sistema está na sensação do jogador de modificar a narrativa de modo efetivo. As rolagens podem se tornar catastróficas ou gerar resultados positivos decisivos. Neste ponto, o jogo mantém uma boa fluidez durante combates e a possibilidade de acumular muitos dados de sincronização para realizar um grande feito sempre traz ao jogador um peso para suas ações.

No início, acostumar a todos com o “passo a passo” do sistema foi um pouco trabalhoso. Mas, na segunda sessão todos já conseguiam compreender bem como melhorar suas ações e tentar realizar poderes intensos. Eu perdi a conta de quantas técnicas foram sincronizadas depois que os jogadores entenderam como fazê-lo. Ainda assim, sempre era divertido ver o impacto no combate quando os jogadores manipulavam bem seus dados de sincronização.

Um último detalhe sobre o sistema está nos poderes das emoções. Sim, existe uma parte das regras para capturar as emoções de cenas mais cruciais e transformar em poderes na cena. Recuperar sua energia vital num último fôlego de esperança, desferir um golpe mortal imbuído de raiva ou mesmo realizar um ato impossível apenas com confiança em realizá-lo são todas situações previstas pelas regras e incentivadas durante o jogo para tornar a narrativa dramática e empolgante.

Nesse último caso, o poder das emoções começou a ser utilizado apenas algumas sessões depois dos jogadores se acostumarem mais com jogo. Talvez tenha faltado um pouco de incentivo meu para a utilização desses poderes, talvez eles tenham gostado tanto de sincronizar técnicas que deixaram um pouco de lado o uso das emoções, mas em todo caso, nas poucas sessões que narrei para testar o jogo, não utilizamos tanto esses poderes. Deixo aqui o aviso: incentivem seus jogadores a utilizá-los, eles parecem trazer boas reviravoltas ao jogo.

Visão Final

Desde o anúncio inicial, eu já estava bem empolgado com o Karyu. Jogos mais simplificados e narrativos que dão mais força a decisão dos jogadores sempre são meus xodós quando quero mestrar animes. No geral, o jogo consegue alternar bem entre cenas de combate e outras mais dramáticas, ou mesclando ambas, mas tenho que dizer que as cenas de comédia foram também bem divertidas. Todo bom anime merece boas cenas de humor.

Se está procurando por um sistema para mestrar uma proposta mais anime, o Karyu pode ser uma boa pedida. Percebi alguns problemas com combates muito longos ou muito curtos, mas talvez tenha sido minha pouca manha em lidar com o sistema. O cenário é bem interessante e traz uma liberdade aos jogadores para criarem personagens no estilo de animes, mas sem se prender a estéticas ou exemplos específicos. E com um hack do sistema para ser lançado futuramente, já me imagino mestrando animes como Avatar ou Fullmetal Alchemist com mecânicas que se aproximem bem deles.

Não vou me alongar mais nessa postagem e já abrir o ambiente para discussões. Já testou o Karyu Densetsu? Conhecia o projeto antes? Procure um pouco sobre o projeto caso se interesse, o RPG nacional sempre tem a ganhar. O playteste pode ser encontrado gratuitamente no site do Dungeonist (clique aqui). Comente sobre que sistemas você usa para jogos no estilo de mídia anime. Dependendo do retorno, posso falar mais sobre o sistema, trazer monstros ou aventuras. Vamos aproveitar o espaço para debate. Saudável e sem hates.

No geral, se você já chegou até aqui aproveite o bônus de experiência por terminar o quinto nível da Torre do Destino. Enfrentar o dragão de fogo pode ser divertido, dramático e dinâmico. Espero que aproveite seu descanso longo até chegarmos no próximo nível onde encontraremos o próximo desafio. Nos vemos na próxima entrada!

1 Comentários

  1. Nina Bicharasays:

    <3 Artigo maravilhoso! Fico feliz que gostou das primeiras experiências de jogo.

Deixe uma resposta