Gaia RPG: acréscimos, mudanças e novidades

Olá pessoas!
Aqui é o Tio Lipe e bem-vindos novamente ao Santuário do Mestre. Quem acompanha as minhas postagens aqui no site sabe que estou trabalhando num sistema autoral chamado Gaia RPG, cujo primeiro playtest foi lançado em junho de 2018 (adquira o livro gratuitamente no Dungeonist). De lá para cá não tive muitas oportunidades de testá-lo, tendo aproveitado este tempo para jogar e ler outras coisas. Contudo, isso não quer dizer que seu desenvolvimento ficou parado, pois venho fazendo uma série de ajustes nele desde então. E é sobre isso que falarei um pouco hoje.

Conheça mais sobre o Gaia RPG:
Apresentação do sistema
Criando cenários colaborativosescrito por Joka
Exploração e combateescrito por Joka
Vilões, equipamentos e condiçõesescrito por Joka
Exemplo de jogoescrito por Joka

Expandindo o material

O primeiro playtest do Gaia RPG foi estruturado de maneira simples, apresentando apenas o que um narrador veterano precisava saber para sair jogando e resultando num livro sucinto e objetivo. Entretanto, para lançar um segundo playtest, há a necessidade de expandir suas explicações. Desta forma, venho tornando as regras mais claras e completas, facilitando a compreensão e o uso para quem não está acostumado a narrar. Muitos quadros explicativos, por exemplo, tiveram seus textos ampliados e incorporados diretamente as regras, tornando-se parte essencial delas. O novo playtest também contará com uma Introdução, substituindo a antiga Apresentação, informando o básico sobre o livro e o jogo.

Quanto ao material em si, percebi que seria interessante ampliar as opções de Proezas para as personagens. Após discutir com os jogadores e com Gilberto “Joka”, responsável pela coluna Espaço Mítico aqui do site e revisor do Gaia RPG, acabei por aumentar a quantidade das Proezas para quase cinquenta, o que me permitiu criar algumas regras complementares para jornadas e exploração, acrescentando novas e possíveis ações no decorrer delas. Exemplos de novas Proezas incluem Herbalista (capaz de encontrar e processar ervas medicinais, criando unguentos que curam aliados ou enfraquecem adversários), Mestre Cozinheiro (especializado em transportar mantimentos e que pode fazer comidas deliciosas, fortalecendo seus aliados), e Xamã (um mago capaz de comungar com espíritos e usá-los para se fortalecer).

Em complemento, várias Proezas sofreram pequenas modificações, adequando-as melhor a proposta do jogo e as tornando mais interessantes de serem adquiridas. Aumentar a quantidade de Proezas também permitiu criar novos Arquétipos, facilitando ainda mais o processo de criação das personagens.

Recriando as Magias

Uma das mudanças mais significativas nas regras foi nas magias. No primeiro playtest, a maioria das magias possuía uma melhoria no terceiro e outra no sétimo nível, sendo raras aquelas que não possuíam qualquer melhoria. Contudo, durante os jogos-testes, percebi que os jogadores estavam tendo dificuldades em como usar as melhorias. Enquanto que, em alguns casos, a melhoria só aumentava os bônus concedidos, em outros ela funcionava literalmente como outra magia. Assim sendo, todas as magias foram revisadas e aquelas com múltiplos efeitos foram separadas em magias próprias. A magia Alteração, por exemplo, foi separada em Ampliar Sentidos, Alterar Forma e Alterar Tamanho. Como resultado, a lista de magias aumentou, mas foi possível torná-las mais objetivas, simplificando seus usos.

Outra mudança é que agora só é possível aprender e conjurar magias que tenham um nível igual ou menor ao Poder da personagem. Poder é um atributo exclusivo para usuários de magias que determina o nível de controle sobre seus próprios poderes. Ele não é usado para testes, mas para limitar o nível das magias que se pode usar e para calcular algumas das suas estatísticas. A magia Projétil, por exemplo, causará um dano igual a margem de acerto do ataque mais o dobro do Poder do mago. O Poder inicia em 0 e pode chegar até 5, aumentando ao se adquirir e melhorar a Proeza Magia. Com esta nova característica, as melhorias das magias agora exigem um valor de Poder acima do nível da magia para serem usadas (além de Essência extra), ao invés de custarem uma das melhorias da Proeza em si, facilitando o controle das magias que a personagem conhece (não é preciso mais se preocupar com quais possuem ou não melhorias).

Revisando os Adversários

Uma das regras que mais tenho orgulho é o modelo de criação de adversários. Fortemente inspirado em 13ª Era, criar inimigos no Gaia RPG é rápido e fácil de improvisar, tendo se provado consistente ao longo dos jogos-testes. Porém, ajustes sempre são necessários, e muitos dos poderes e tipos dos adversários precisavam de uma revisão. Desta forma, pouco se modificou nas demais características deles, mas uma série de pequenos ajustes foram feitos nos tipos de criaturas como bestas, aberrações e celestiais, por exemplo, bem como em poderes como aura, corrosão e, principalmente, magia. A ideia agora é expandir o bestiário, fornecendo muito mais opções de adversários prontos para serem facilmente usados e enfrentados em seus jogos.

Arte da Capa

Uma das coisas mais importantes em qualquer produto é sua identidade visual. O Gaia RPG já possui suas regras e uma ambientação em construção (sobre a qual falarei no futuro), mas ainda precisava de um “rosto”. E foi pensando nisso que fui atrás do grande Dan Ramos, autor e ilustrador de vários jogos nacionais, a fim de criar uma capa para o Gaia RPG. Usando muitas das inspirações do cenário que estou elaborando para Gaia como referência, Dan captou bem o meu desejo em criar uma arte que transparecesse o desejo por aventura frente ao fantástico e inesperado. E o resultado? Bem, eu não poderia estar mais satisfeito. Agora o próximo passo é criar um logo para o Gaia RPG.

E estas são nas novidades que tenho por hora. O segundo playtest ainda não tem data para ser lançado, mas se tudo der certo será ainda no primeiro semestre deste ano. Espero que tenham gostado da postagem e fiquem no aguardo para mais detalhes sobre o Gaia RPG em breve.

Até and Bye…

Espaço Mítico Gaia RPG Joka produção autoral RPG Santuário do Mestre Sistema

Tio Lipe

Engenheiro civil, otaku, leitor aficionado por fantasias, entusiasta gamer e saudosista. Narro RPG desde quando fui apresentado ao hobby com o Mini GURPS e 3D&T da capa vermelha, e só recentemente passei a jogar mais. De lá para cá, já joguei e testei muita coisa. Devorador de sistemas e senhor das adaptações, quem me conhece sabe que adoro ler novos jogos, testar regras diferentes e adaptar as mídias que curto para o que estou jogando atualmente.

Deixe uma resposta