Monarcas da Mentira

Olá leitoras e leitores!
Meu nome é Rosamante, e nesta postagem continuarei explorando os horrores cósmicos contidos no jogo de Mago: o Despertar. Em cumprimento à minha promessa da postagem anterior, falarei um pouco sobre um grupo que é capaz de me assustar muito mais que as Inverdades do Abismo.
Nesta coluna de hoje, eu irei conversar sobre a existência dos Exarcas e seus Profetas, além dos efeitos devastadores de suas atividades em nosso mundo.

Para que vocês possam compreender este tema, vou fazer uma breve retomada dos conceitos que eu introduzi a vocês no meu último texto sobre o Abismo.

Segundo o que nos é explicado em Mago: o Despertar, a realidade é composta por duas dimensões: as Dimensões Supernas e o Mundo Decaído.

  • Mundo Decaído é o universo que todos nós habitamos e conhecemos. O mundo oculto onde habitam estranhas criaturas como fantasmas, vampiros, lobisomens, etc., também é considerado parte do Mundo Decaído.
  • Dimensões Supernas, por sua vez, são os planos superiores de existência dos quais, supostamente, advém toda a magia do cosmos. É um plano inteiramente formado por Símbolos Supernos que interagem entre si formando a realidade, como um código-fonte para tudo que existe no universo. Elas não são um local físico, existindo na forma de planos que se sobrepõem ao Mundo Decaído, nos rodeando enquanto, simultaneamente, descrevem tudo que existe.

Apesar das Dimensões Supernas existirem sobrepostas ao Mundo Decaído, nós não podemos vê-las nem interagir com elas, devido a dois fatores: a Mentira e o Abismo.

Perceba, leitor que há uma espécie de lógica por trás deste sistema; uma força ativamente mantendo a Mentira e utilizando as suas ferramentas para aleijar a capacidade da humanidade ver e alcançar o Superno, mantendo-a ignorante e impotente.

A esta força é atribuído o nome de Exarca, e hoje nós olharemos para os Tronos dos mestres ocultos do universo.

Os Exarcas

Nas profundezas das Dimensões Supernas encontram-se entidades que dos seus tronos, controlam toda a Tapeçaria do cosmos. Estas entidades, diferentemente das que habitam no Abismo, não possuem motivações alienígenas nem tampouco são movidas por um impulso primitivo de consumir e subverter a Verdade.

Ao contrário, são movidas por desejos assustadoramente humanos de mesquinhez, privilégio e dominação. A cobiça sentida por estas Entidades é tão forte que determina a sua própria natureza: os Exarcas são os próprios Símbolos que descrevem e manifestam a Tirania e a Opressão no Mundo Decaído.

Muito embora não seja possível afirmar qual é a sua natureza exata, muitos Despertos acreditam que os Exarcas foram Magos que muito tempo atrás, abandonaram seus corpos físicos e transformaram suas almas em Símbolos Supernos, tornando-se magia pura e passando a existir nas Dimensões Supernas num fenômeno chamado de Ascensão.

Independentemente de suas origens, todos os Exarcas manifestam uma extrema possessividade em relação à magia que existe nas Dimensões Supernas, desejando-a apenas para si mesmos e considerando-se como os únicos que possuem o direito legítimo de utilizá-la. Esse desejo de manter a magia apenas para si não pode ser alcançado enquanto as pessoas continuarem vislumbrando o Superno e interagindo com seus Mistérios no Mundo Decaído. Para impedir a humanidade de Despertar, os Exarcas falam mentiras para mantê-las presas a dilemas que parecem naturais e sem solução, distraindo-as da Verdade oculta por trás destas mentiras.

Estas farsas, ao serem proferidas pelos Exarcas, tomam forma no Mundo Decaído, criando leis artificiais que impedem a humanidade de contemplar a Verdade que os Tiranos desejam ocultar.

  • O Olho afirma que privacidade não existe; que estamos todos sendo constantemente vigiados, e que nossos segredos devem ser temidos, pois eles inevitavelmente serão expostos e usados contra nós.
  • O Pai prega que a Verdade pertence apenas a Deus e que a autoridade da fé não deve ser questionada por pecadores e hereges, indignos dos Mistérios da Fé.
  • A União diz que a identidade não significa nada; que a cultura e a sociedade molda tudo que somos, e que, no fim, todos somos iguais em corpo e em mente.
  • O General alega que apenas aqueles que são similares a nós são dignos de confiança; que devemos temer e destruir todos que são diferentes, pois estes são e sempre serão nossos inimigos.
  • O Psicopompo conta que a Morte é inevitável, e que ela é o fim absoluto de tudo; que apenas os merecedores podem seguir adiante após morrer.
  • A Ruína nos fala que a humanidade está caminhando na direção do colapso e da perdição, que não há nada que possamos fazer para impedir.
  • A Nêmese nos ensina que há outros mundos perigosos que não enxergamos e que devemos temer, pois apenas morte e miséria aguardam aqueles que tentam acessá-los.
  • O Vidente profetiza que a história só pode ser mudada por pessoas específicas; campeões e heróis de seu tempo, que se diferenciam e guiam as massas irrelevantes e ignorantes no fluxo do tempo.
  • O Chanceler diz que tudo que existe tem um preço, que a vida em si é só mais uma moeda que representa o valor da sua existência.
  • O Raptor diz que não há nada de diferente na humanidade quando comparada aos demais animais; que os humanos continuam presos aos seus instintos de sobreviver ou morrer e não podem transcender a ordem natural.

O coletivo destas mentiras que os Exarcas contam, é o que se conhece simplesmente como A Mentira, o conjunto de inverdades e farsas criadas artificialmente pelos Exarcas para distrair a humanidade e impedi-la de enxergar a Verdade.

Vale ressaltar que a Mentira não apenas faz com que as pessoas ignorem o Superno ao seu redor; mas também faz com que a humanidade negue ativamente a existência do Superno e todas suas manifestações.

Isso significa que para a mente Adormecida de uma pessoa comum, todo tipo de magia que se manifesta no Mundo Decaído — como os feitiços de um Mago, um Mistério, ou a própria concepção de tal poder — é negada, e depois racionalizada ou esquecida. Tal negativa é tão forte que possui a capacidade de ferir o Superno, atacando e enfraquecendo feitiços e fenômenos mágicos, sempre buscando restabelecer a Mentira que os Exarcas contaram. Essa negação do Superno é o que se chama de Quiescência, ou, a Maldição do Sono, a qual grande maioria da humanidade está condenada.
No entanto, por mais sofisticada e bem pensada que seja a estrutura que os Exarcas usam para oprimir e iludir o espírito humano, algumas pessoas ainda conseguem ver através do véu da Mentira e alcançam o Despertar. Estas pessoas tornam-se Magos, seres capazes de ver e manipular o Superno, desafiando a ordem criada pelos Tiranos.

Cada Desperto é um risco em potencial para os Exarcas, na medida em que cada um deles representa que o seu sistema é falho em algum ponto. Além disso, uma vez que os Magos aprendem sobre a existência da Mentira e também sobre as atitudes que os Exarcas tomaram para estabelecê-la, muitos destes Magos se voltam contra os Exarcas, determinados a Despertar outras pessoas e a contestar a soberania dos Tiranos.
Dado à própria vastidão da existência dos Exarcas, é difícil lidar individualmente com cada Mago que Desperta no Mundo Decaído. Para um Exarca, determinar alvos específicos no Mundo Decaído é como tentar mover um átomo com o dedo, uma tarefa impossível sem uma ferramenta adequada, pela própria diferença de escala.

E por este motivo, os Exarcas possuem agentes no Mundo Decaído — seus Profetas, ferramentas que tornam mais eficiente a sua missão de oprimir a humanidade e combater Magos rebeldes.

Os Profetas do Trono Superno

Por mais oprimidas que sejam, pessoas comuns ainda possuem alguma chance de ver através da Mentira dos Exarcas e Despertar, tornando-se Despertas e Despertos, embora continuem existindo no Mundo Decaído.

Porém, nem todo Desperto quer contestar o Reinado dos Exarcas. De fato, alguns Magos sequer veem algo de errado com o estado do mundo, considerando natural que nem todas pessoas tenham acesso à magia e enxergando seu próprio Despertar como um privilegio conquistado por mérito.
Outros Magos simplesmente não veem sentido em resistir ao poder dos Exarcas. Para eles, os Tiranos já venceram, o Mundo já é decaído, a humanidade já vive iludida pela Mentira e tentar reverter esta situação é uma atitude fútil e inútil.

E ainda existem Despertos que simplesmente não se importam em viver num Mundo Decaído. Para estes Magos, se eles vão passar suas vidas na prisão metafísica da Mentira, melhor ser o carcereiro que o prisioneiro.

Magos que por um motivo ou outro, decidem servir os Exarcas, fortalecendo a Mentira, oprimindo os Adormecidos e enfrentando os Magos que buscam a liberdade da humanidade, são chamados de Profetas do Trono Superno. Assim se chamam por dedicarem sua feitiçaria e seus estudos dos Mistérios à busca, interpretação e execução das instruções de seus mestres Exarcas.

Os Tiranos criaram o Mundo Decaído, deixando os sinais de suas instruções e desejos ocultos em todos os lugares. Apenas aqueles treinados e determinados a encontrá-los, decifrá-los e colocá-los em prática, conseguem compreender e clamar para si as recompensas distribuídas por seus Mestres. Para isso, além dos seus feitiços e sentidos supernos, os Profetas utilizam formas decaídas de adivinhação como tarô, quiromancia, interpretação de sonhos, etc. Qualquer ferramenta, seja ela decaída ou Superna, que lhes permita identificar a Vontade dos seus Mestres e executá-la perfeitamente, é válida.

A Vontade dos Exarcas varia entre cada um deles, e possui detalhes específicos relacionados à natureza de cada um, mas existem padrões que se repetem, embora em diferentes contextos.

O controle sobre o os Mistérios é um destes comandos recorrentes, na medida em que os Exarcas ordenam aos seus Profetas que controlem e protejam certos fenômenos, locais, pessoas e objetos que manifestam de alguma forma, magia Superna, antes que os Magos do Pentáculo o façam. Cada Mistério que o Pentáculo decifra é um risco à Soberania dos Exarcas, e se um Profeta não consegue impedir o Pentáculo de obter esse Mistério, o Profeta deve destruí-lo e eliminar cada Mago que saiba a respeito dele para proteger o Reinado do seu patrono.

Dividir e administrar a humanidade é outro comando recorrente entre todos os Exarcas, que ordenam aos seus Profetas que se apropriem de certas causas, interfiram em certos acontecimentos e tomem certas atitudes com o objetivo de manter a humanidade presa na Mentira, dividida entre si e ignorante do Superno. Ao mesmo tempo, os Exarcas não querem governar um reino de cinzas, e mesmo que continuem com a maga eternamente fora do seu alcance, os Adormecidos devem continuar a prosperar dentro dos limites impostos pela Mentira, sendo responsabilidade dos Profetas certificar-se que isso aconteça.

Regular o Abismo é um dos comandos mais difíceis de se interpretar, mas que ocorrem com certa frequência. Os Exarcas reconhecem o Abismo como uma ferramenta de extrema utilidade por corromper as Verdades e Mistérios Supernos no Mundo Decaído — e seus Profetas não devem ter medo de utilizá-lo para assegurar a firmeza da Mentira. Contudo, como já foi dito, os Exarcas não desejam governar um reino de cinzas, e seus Profetas devem utilizar o Abismo com Sabedoria e cuidado, minimizando os riscos de corrupção irreversível.

Por fim, um dos comandos mais comuns e que certamente se repete entre todos os Exarcas é a ordem de destruição dos Magos do Pentáculo. É apenas óbvio que os Exarcas ordenem a execução de Magos que contestam sua soberania, sabotam seu sistema de opressão e se recusam a se submeter à sua vontade tirânica, sendo dever dos seus Profetas eliminá-los.

Servir o Trono não é apenas uma questão pessoal, filosófica, religiosa ou política, mas é também um negócio extremamente vantajoso para os Profetas que conseguem interpretar e executar adequadamente a vontade dos Tiranos. Profetas que descobrem os comandos dos seus mestres e os colocam em prática adequadamente, desfrutam do poder dos Exarcas no Mundo Decaído em suas mais diversas formas. Fortuna, privilégio e poder no Mundo Decaído é o mínimo que os Exarcas têm a oferecer para Magos que decidam tornar-se Profetas. Todos agem de posições de privilégio e luxo dentro da sociedade humana, tendo à sua disposição todo e qualquer desejo que suas mentes possam cobiçar.

Para os servos mais eficientes e dedicados, os Exarcas vão além das recompensas materiais e sociais, concedendo-os uma fração do seu poder mágico, e ensinando-os os segredos sobre como evocar a Tirania dos Exarcas através de sua magia. Profetas que alcançam este nível de eficiência em sua servidão são recompensados com Grimórios contendo feitiços potentes e antigos, artefatos mágicos, lições sobre como evocar a magia dos Exarcas para comandar legiões de servos e escravos com sua magia e assim por diante.

Arquimaestria e Ascensão são as recompensas finais, através das quais os Profetas esperam adquirir um poder similar aos dos seus mestres, e alcançar as Dimensões Supernas, reinando ao lado dos Exarcas sobre o Mundo Decaído.

A Pirâmide de Ferro

Por fim, da mesma forma que os Exarcas reinam sobre o Mundo Decaído numa hierarquia claramente estabelecida, os Profetas replicam este comportamento se colocando acima de todos os Adormecidos e Magos do Pentáculo, estabelecendo uma Hierarquia interna denominada de Pirâmide de Ferro.

A Pirâmide de Ferro, por sua vez, se organiza em Ministérios, organizações dedicadas a estudar, interpretar e executar os comandos de um dentre os dez Exarcas, o que significa dizer que existem dez Ministérios que cada Profeta pode servir, cada um adotando um Exarca Patrono.

A despeito de existirem dez Ministérios, apenas quatro dentre os dez possuem de fato poder e influência mundial: o Ministério do Panóptico (servente do Olho), o Ministério da Hegemonia (servente da União), o Ministério Pretoriano (servente do General) e o Ministério do Paternoster (servente do Pai). Os demais Ministérios existem, mas possuem seu poder mais desorganizado e espalhado em lideranças distintas e regionais, não contando com o mesmo nível de organização e poder que os quatro principais. Essa desigualdade de poder se dá pelo fato de que estes quatro Ministérios servem os Exarcas considerados como Arquigenitores – Exarcas cujo poder e influência no mundo se destacam quando comparado com os demais. Esta hierarquia nem sempre se deu nesta formação e os Exarcas que hoje ocupam a posição de Arquigenitores, nem sempre tiveram este prestígio, que pode cair na medida em que outros Exarcas ascendem a esta posição.

Os Ministros que servem os Arquigenitores possuem um canal de comunicação direto e constante com seus Exarcas patronos, o que torna a tarefa de interpretar a Vontade do Tirano absurdamente mais fácil, permitindo com que o Ministério possa agir de forma mais eficiente.

Gozando de mais organização que os demais, estes quatro Ministérios possuem formas extremamente especializadas e terríveis de fortalecer a influência do seu patrono no Mundo Decaído e na sociedade Adormecida.

Ministério da Hegemonia

É especializado em subverter, corromper e manipular estruturas sociais e políticas da humanidade. Seus Profetas são camaleões ideológicos, compreendendo que todos os sistemas políticos foram criados na Mentira, e portanto, são ferramentas inseridas pelos Exarcas para garantir o seu reinado. Para a Hegemonia, a utopia humana deve ser inatingível e os Profetas jamais devem permitir que os Adormecidos saibam que ela é possível. A mensagem da União para seus Profetas é clara: para transformar todas mentes humanas numa única e indistinta mente coletiva, a humanidade precisa ser dividida em classes e grupos em eterno conflito um com o outro. Se a humanidade conseguir atingir um denominador comum e conviver pacificamente, haverá um risco considerável para o universo e para o Reinado.

Ministério do Panóptico

Concentra-se na espionagem e coleta de informações, mas também no controle através da vigilância. Os Profetas deste Ministério sabem que as pessoas agem de uma forma diferente quando estão sendo vigiadas, pois todos temem inconformidade e imprevisibilidade, e por isso, há uma tendência natural de suprimir grande parte dos comportamentos que poderiam inspirar revolta ou questionamento no Mundo Decaído. Estes Profetas cultivam entre os Adormecidos uma cultura de paranoia, exposição e punição, com o objetivo de incentivar uma sociedade que vigie e puna a si mesma, eliminando possíveis dissidentes que seriam candidatos ao Despertar.

Ministério do Paternoster

Muito embora compartilhe certas similaridades na atividade de subverter e corromper credos e grupos religiosos, da mesma forma que os Profetas da Hegemonia subvertem sistemas políticos, os Profetas que servem o Pai se diferenciam na devoção com a qual se dedicam ao seu patrono. Os Profetas do Paternoster acreditam que apenas eles são dignos de louvar o Pai e que os louvores dos Adormecidos seriam um insulto ao seu Exarca patrono. É por esta razão que cultivam falsas doutrinas em comunidades religiosas, eliminando qualquer vestígio do Superno das pregações e atividades religiosas, ressignificando-as para servir à Vontade Tirânica do Pai.

Ministério Pretoriano

Dentre um dos mais brutais e implacáveis na Pirâmide de Ferro, cultivando uma doutrina de destemor e coragem entre os seus Profetas para que eles possam impor terror absoluto no coração dos Adormecidos, os Pretorianos têm no medo o maior inimigo do Despertar. Enquanto nenhum Adormecido puder dormir tranquilo pelo pavor de saber que alguém pode tomar dele tudo que ele ama, a humanidade continuará presa na Mentira. Os poucos teimosos que Despertam em razão do terror espalhado pelos Pretorianos, são encarados como desafios enviados pelo General para testar a capacidade e perseverança de seus Profetas.

Conclusão

Antes de terminar esta postagem, acho importante destacar certos aspectos sobre os Exarcas e Profetas que considero importantes, caso você pretenda utilizá-los nas suas mesas de RPG.

A primeira coisa que eu acho importante destacar é que independentemente do motivo que leva alguém a participar da Pirâmide de Ferro, ou de qualquer “código de ética pessoal” que um determinado Profeta adote, todos os Profetas sabem que estão oprimindo a humanidade, espalhando miséria pelo mundo e arruinando vidas, por mais que procurem justificar suas decisões.

Isso quer dizer que qualquer desculpa ou justificativa que um Profeta apresente para os seus atos, na ampla maioria das vezes é apenas um argumento vazio para se permitir dormir a noite, porque no fundo ele sabe que ele serve aos Exarcas porque gosta do poder e do privilégio que sua servidão lhe oferece, afinal, todo o poder mágico e mundano que os Exarcas concedem, advém diretamente da miséria humana.

Por esta razão, se você pretende utilizar uma história de um Profeta arrependido na sua mesa, é importante enfatizar em como o sentimento de culpa se manifesta nesse Profeta, assim como o abandono dos privilégios que ele adquiriu em sua servidão através da opressão de outras pessoas.

Estes detalhes são importantes na medida em que demonstra não apenas que o personagem compreende que suas ações foram erradas, mas que apenas isso não é o suficiente para satisfazer um arco de redenção. É necessário que além de compreender o erro, o personagem cometa um sacrifício pessoal para compensar o seu erro, implicando em perdas reais e significativas para ele, em nome de fazer a coisa certa — mesmo que isso signifique sua condenação.

O segundo detalhe que acho importante considerar é que os Profetas do Trono Superno são antagonistas particularmente cruéis, mesquinhos e egoístas, estando facilmente dentre os mais pérfidos nas Crônicas das Trevas, e por mais que seja possível jogar como um Profeta, é importante que o jogador tenha certa maturidade no momento em que decide interpretar um Profeta, devendo avaliar bem quais são suas intenções em escolher tal personagem e se não teria outras formas de atingir o mesmo resultado.

Saber se todos no seu grupo estão confortáveis com a ideia e quais são os limites dos outros jogadores em relação ao personagem é igualmente importante.

Dito isso, concluímos mais um Dado Esqueleto, meus caros leitores e leitoras. Espero que eu tenha conseguido passar para vocês o pavor que sinto diante destes antagonistas, que na minha concepção, são muito mais aterrorizantes que qualquer aberração saída do Abismo — me falem nos comentários se vocês concordam.

Até lá, longos dias e belas noites queridos leitores!

Deixe uma resposta