Diário de Sessão: Starfinder do Mesa de Encontros – 2º episódio

E esta semana, na Taverna no Fim do Multiverso, segue o resumo da segunda sessão da campanha de Starfinder enviada pelo Matheus Medvedeff do Mesa de Encontros.

Deseja participar da Taverna no Fim do Multiverso? Confere o Regulamento!

Campanha Starfinder Sessão 02

O grupo é surpreendido pela ação do jovem misterioso que jogou o cristal para Markus ao mesmo tempo que os membros de uma gangue se aproximam com armas em punho.
Adotando uma postura ofensiva, Hassan manda os membros da gangue se afastarem, conseguindo que alguns deles se intimidem, enquanto Jerry parte no encalço do jovem e o resto do grupo procura cobertura.
Os primeiros disparos começam a voar. R0b3rt aproveita a abertura e acerta dois tiros rápidos no peito de um dos adversários ao mesmo tempo que Jerry prende o jovem misterioso com uma rede (um dos implantes disponíveis no jogo). A gangue ainda surpreendida pela reação rápida dos aventureiros não engaja adequadamente no combate e não alcançam coberturas para se protegerem, podendo apenas disparar de modo pouco eficaz. Hassan, Kimmy e Markus dão cobertura para R0b3rt e Jerry, forçando ainda mais a gangue a se acoar.
R0b3rt chuta o lixo da rua na cara de um dos inimigos e o atinge na cabeça logo em seguida. Jerry termina de capturar e nocauteia o jovem (que ele descobre ser um lashunta). Markus, perdendo toda a sua paciência, solta uma magia em área para acabar de vez com a situação, forçando os inimigos restantes a recuarem.
As sirenes da polícia local começam a se aproximar. O grupo se comunica rapidamente e decide se separar: Hassan e Jerry carregam o lashunta fingindo que ele estava bêbado; R0b3rt entra num beco próximo, esconde suas armas e faz algumas compras se disfarçar entre os transeuntes; Kimmy e Markus partem no fluxo oposto da população que se aproxima do local do combate, levando o cristal e descobrindo que ele é um proto-item híbrido, funcionando como um sistema de armazenamento que pode ser acessado apenas por pessoas que conseguem fazer magia.
Após uma hora ou mais escondidos pelas ruas de Platô Laubu, o grupo retorna para a Hurricane para entender toda a confusão causada pelo jovem lashunta. Após alguns instantes, o jovem acorda e se apresenta sem muitos rodeios como Grant. Numa investigação inicial e notando os padrões de tatuagens de Grant, o grupo descobre que ele é praticante de uma técnica quase marcial de aprimoramento de seus dons psíquicos.
Grant se desculpa pela confusão e, após um momento de ameaças de Jerry, explica o que aconteceu: com a descoberta de novos sítios arqueológicos na região de Platô Laubu, o comércio ilegal de itens pré-Lacuna cresceu exponecialmente e, aproveitando-se de seus dons psíquicos, Grant ganhou mais apostas do que deveria nas mesas de jogos da região. Uma das gangues locais desconfiou da “sorte” do lashunta e tentou tirar proveito da situação, pois na mesa estava o cristal de memória que continha literatura antiga dos elfos (Kimmy e Markus confirmam o conteúdo do cristal) e compradores em potencial já se interessavam pela relíquia.
Numa negociação meio atrapalhada entre Hassan, Jerry e Grant, na dúvida se o grupo deveria sair da cidade por meios legais ou escondidos para evitar a atenção de possíveis adversários, o grupo contrata o lashunta como guia local e decidem partir para a ruína élfica na qual provavelmente se encontra o pergaminho que Ignus havia pedido.
O grupo prepara a suas autorizações para atividades de exploração em Castrovel, equipam o seu veículo terrestre e partem para a região indicada pelas coordenadas que eles possuem.
R0b3rt assume o volante, o veículo parte pelas estradas que circundam o platô e chega rapidamente até o caminho que leva para a região das ruínas. No meio dos ermos, eles encontram os sinais de que se aproximam de uma construção élfica que um dia foi feita de uma integração entre rochas e árvores que não foram mortas para formar uma cidadela.
O que os espera no local?

Deixe uma resposta