Criaturas dos Mythos para A Bandeira do Elefante

Salve, salve exploradores do Novo Mundo! Eu sou o Joka e a Espaço Mítico desta semana traz para vocês a segunda parte da adaptação de nosso cenário autoral, o Nova Amsterdã (NA), para o Brasil fantástico de A Bandeira do Elefante e da Arara (ABEA).

Desta vez, apresentaremos algumas criaturas do Mythos que podem ser usadas em sua próxima aventura no ABEA. 
Quem acompanha o Mundos Colidem, principalmente esta coluna e a do meu amigo e colaborador do site, Raphael Lima da Caixa do Lima, já deve conhecer um pouco do que é o Nova Amsterdã e podem pular essa pequena introdução ao material para a seção seguinte. Mas para aqueles que estão chegando agora, é necessário fazer um pequeno resumo dessa história:

Desde 2017 que estamos produzindo juntos este cenário autoral de terror histórico para FAE. Vocês podem conferir a evolução do material nos seguintes artigos: Nova Amsterdã 1646: Os Mythos chegam ao nordeste holandêsNova Amsterdã 1646: O estranho ocaso da vila do BonfimFolclore Brasileiro e Cthulhu: Nova AmsterdãNova Amsterdã: Lidando com Sanidade e Loucura. Além disso, vocês podem encontrar o fastplay e a ficha de personagem editável aqui.

Em Nova Amsterdã, reimaginamos a história da dominação holandesa na capitania do Rio Grande (atual estado do Rio Grande do Norte) — que durante a estadia deles na capitania, a capital chamada hoje de Natal, foi renomeada para Nova Amsterdã, daí o título do cenário — como se o mythos do escritor H.P Lovecraft existisse e tivesse influenciado os acontecimentos que aqui ocorreram — com os batavos procurando artefatos do mythos para garantir sua posse estratégica da área, portugueses mal intencionados buscando os Grandes Antigos para obter poder e os índios tentando sobreviver aos monstros e à violência estrangeira. Um verdadeiro caldeirão borbulhante de problemas.

Em uma conversa recente com o Raphael, resolvemos transportar o nosso cenário para outros sistemas. Você pode encontrar a primeira parte da adaptação para ABEA aqui: Nova Amsterdã: Adaptação para A Bandeira do Elefante e da Arara. E a adaptação do Lima para Old Dragon chamada Nova Amsterdã: Medo, Loucura e Insanidade em Old Dragon.

As Criaturas dos Mythos para ABEA

Para apresentar as criaturas dos Mythos no sistema do ABEA, resolvi trazer alguns dos monstros clássicos apresentadas nas histórias envolvendo os Grandes Antigos. Antes de mais nada, entendam que esta é uma adaptação livre e que se você sentir falta de alguma coisa na ficha da criatura, sinta-se livre tanto para adicionar elementos quanto para removê-los. Lembre-se, o jogo é seu!

A Cria Negra de Shub-Niggurath

Formada por uma enorme massa sombria de carne, coberta em toda sua extensão por bocarras e negros tentáculos, a Cria Negra é uma massiva criatura com cerca de 3,5 a 6m de altura, com pernas curtas terminando no que parecem ser cascos. De suas bocas escorre uma espessa saliva esverdeada, nojenta e assustadora. Sua silhueta, ao longe, pode facilmente ser confundida com a de uma árvore. Possui uma forte conexão com Shub-Niggurath e é considerada como uma representante direta deste Grande Antigo, devorando sacrifícios em seu nome e sendo adorada pelos cultistas de sua “mãe”.

Tamanho: M a N.
Movimento: 4.
Habitat: Manguezais, Pântanos e Matas isoladas.
Número: 1.
Habilidades: Causa insanidade (Façanha Difícil para resistir, 3 de dano na sanidade se falhar) e Magias do Mythos ou qualquer tipo de Poderes mágicos condizentes com a criatura.
Ataques Físicos: Agarrar e morder 3 (Dano 10); Escoicear 2 (Dano 15)
Resistência: 50
Defesa passiva: 2
Defesa ativa: 3

Abissal

Os Abissais são uma raça anfíbia marinha e imortal conhecidos por servirem Cthulhu. Possuem cidades submersas em várias partes do mundo, incluindo na costa brasileira. Eles são cultuados como deuses pelos humanos que regularmente procriam com estas criaturas formando seres híbridos.

Tamanho: I.
Movimento: 3 na terra/ 5 nadando.
Habitat: Litorais, Mares e Manguezais.
Número: 1 a 10.
Habilidades: Conhece ao menos 4 poderes mágicos diferentes com até 2 pontos em cada. É capaz de respirar embaixo d’água e fora dela. Causa insanidade (Façanha Média para resistir, causa 2 de dano na sanidade se falhar).
Ataques Físicos: Garras 2 (Dano 3) ou Lança/Tridente 2 (Dano 4).
Resistência: 15.
Defesa passiva: 1.
Defesa ativa: 3

Mi-Go

Os Mi-Go são uma raça alienígena de origem fungóide que visitam a Terra regularmente para obter metais raros ou realizar pesquisas. Eles se comunicam mudando as cores de suas cabeças, mas são capazes de falar a língua humana com uma voz semelhante ao zumbido de insetos. É comum encontrá-los realizando experimentos assustadores com os seres humanos, controlando-os por meio de encantamentos para facilitar os seus objetivos.

Tamanho: H
Movimento: 4 na terra/ 5 no ar
Habitat: Qualquer lugar terrestre.
Número: 1 a 5
Habilidades: Reduz o dano causado por armas penetrantes (como armas de fogo) para 1 devido à fisiologia de seu corpo. Conhece até 3 poderes sobrenaturais condizentes com a criatura. É capaz de voar e viajar pelo espaço com suas asas. Causa insanidade (Façanha média para resistir, causa 2 de dano de Sanidade se falhar).
Ataques Físicos: Garras 1 (Dano 2)
Resistência: 10
Defesa passiva: 1
Defesa ativa: 2

Conclusão

E por hoje é só, desbravadores! Nas próximas postagens trarei mais material adaptando os Mythos de Cthulhu para o ABEA, como magias, artefatos, tomos antigos e mais criaturas!

Até breve, e que Cthulhu lhe dê bons sonhos!

Deixe uma resposta