Mundos Colidem – Até mais e obrigado pelos peixes!

Mundos Colidem

Há cinco anos atrás, o Mundos Colidem migrou da plataforma de blog para a plataforma de site, dando início a um maior envolvimento do coletivo em eventos, artigos de RPG e produções autorais.

Ao longo destes cinco anos o coletivo escreveu 497 artigos e criou 23 jogos, além de organizar eventos de RPG e participar de outros eventos culturais. Algumas pessoas chegaram a pensar que éramos uma editora, mesmo a gente sempre enfatizando que éramos apenas um grupo de RPGistas de Natal que decidiu montar um site pra colocar as produções que fazíamos pros nossos jogos de mesa.

Há cinco anos atrás, não tínhamos noção da dimensão que tudo isso tomaria. E estamos orgulhosos por esse trajeto. Vocês não têm noção do tamanho do orgulho por isso. Porém, hoje este trajeto chega ao fim.

Desde o início da pandemia, as coisas ficaram um pouco mais complicadas. E não me refiro somente ao desgaste da saúde mental pelo novo normal ou à atuação catastrófica do governo atual em relação à pandemia, mas os membros passaram por situações de desgaste emocional, contaminação de pessoas queridas e próximas por covid, falecimento de algumas delas e até a infecção pelo vírus.

E isso nos afetou bastante. A quantidade de artigos no site, que eram em média de três a cinco postagens por semana, caiu muito, a produção de materiais autorais também e alguns autores até pararam de postar enquanto estavam tentando sobreviver a toda essa situação. E isso não passou despercebido pela gente, mas antes de um coletivo, nós somos humanos e, acima de tudo, amigos.

A postura adotada no início da pandemia foi de que estava todo mundo de licença, quem conseguisse escrever algo o faria, mas estávamos deixando de lado a responsabilidade de postagem. Até porque este é o nosso hobby, a gente faz por amor. As pressões e demandas a gente deixava para os nossos trabalhos, nossas profissões — e este é um dos motivos pelo qual nunca nos tornamos editora ou grupo de atividade profissional envolvendo o RPG.

Porém, a situação se arrastou por tempo demasiado e mesmo que uma esperança tenha surgido no horizonte com o advento da vacina, nós estamos numa situação em que o sistema de saúde e óbitos estão em números elevados jamais obtidos antes. E, por isso, a gente se reuniu. E, por isso, nós conversamos. E, por isso, nós fomos sinceros em concluir que na situação atual não era possível continuar.

Devo acrescentar que em paralelo a essa questão há a financeira. Nós pagamos o servidor do Mundos Colidem de nossos bolsos. Não fazemos nenhum tipo de vaquinha ou financiamento coletivo, nem recebemos patrocínio ou doações. Nem queremos. Temos condições de pagar, embora com certa dificuldade pelo valor do dólar, e preferimos fazer por nós mesmos nos mantendo independentes.

Neste momento de pandemia, qualquer valor monetário faz uma grande diferença, principalmente para aqueles que têm filhos, cônjuges e/ou parentes em grupos de risco ou com doenças crônicas. No período normal podíamos nos dar ao luxo de pagar o valor do servidor. No período de pandemia, não. Mas, como mencionei acima, essa é uma questão paralela. Que corroborou com a decisão tomada, mas não foi a responsável.

O mais importante pra gente, neste momento, é a preservação da nossa saúde. Seja física, emocional ou mental. Quando as coisas melhorarem, quando nos recuperarmos das consequências dessa pandemia, quando juntarmos os nossos pedaços e avaliarmos como estamos… Talvez repensemos esta decisão. Até lá, só queremos agradecer.

Muito obrigado a todos que nos acompanharam nestes cinco anos. Obrigado pelos comentários, por compartilharem nossas postagens e por jogarem nossas produções. Muito obrigado por todo o carinho que vocês nos deram. Se temos orgulho dessa nossa trajetória, se ela valeu a pena a cada passo, mesmo nos momentos mais árduos, é graças a vocês. Portanto, até mais e obrigado pelos peixes!

Edit pro Informe solto no Facebook na tarde do dia 21/03/2021:

 

Olá. Pessoas Lindas, o Mundos Colidem não foi encerrado. Quem foi encerrado foi o site. O coletivo continua firme e forte: ainda temos nossas mesas de RPG pelo Roll 20 entre a gente nas quartas, sábados e domingos; ainda marcamos jogos na steam entre a gente; ainda abrimos canais de voz no Discord ou no Telegram pra bater papo sobre o dia; ainda manteremos o grupo do Telegram, a página do Face, a página do Insta, o Twitter e, principalmente, as páginas do Dungeonist e do Drivethru RPG com nossas produções autorais.

Sobre o conteúdo do site, vocês ainda têm alguns meses com ele disponível no domínio oficial da gente (que manteremos pra evitar confusões futuras, sacomé, né?). Após o encerramento do contrato com o servidor, o que só deve ocorrer no meio do segundo semestre, aí encontraremos alguma alternativa, nem que seja migrar o conteúdo pro nosso antigo blog gratuito no WordPress.

E, se, quando, algum membro decidir fazer alguma produção autoral, no seu próprio ritmo e tempo, ainda lançaremos ele no Dungeonist e no Drivethru RPG e anunciaremos no grupo do Telegram, na página do Face e na página do Insta. Simples assim. O coletivo continua, o site é que não. Dito isso, desejo um excelente domingo a todos. E, se puderem, fiquem em casa. Bonanças.

“Você encontra a Aventura

Ou a Aventura encontra Você”.

Lançamento da RPGdelivery.com: plataforma que possibilita criar mesas e encontrar jogadores de RPG

Em maio de 2020 foi lançada a Plataforma RPGdelivery.com, que disponibiliza ferramentas para criar mesas e encontrar jogadores de RPG. Divulgada através das redes sociais, você pode acessar a Plataforma entrando no site www.rpgdelivery.com e criando um perfil para ter acesso as suas funcionalidades.

Guia sobre Financiamento Coletivo de RPG

Yop! Eu sou Jards Medeiros, e esta é minha estréia na coluna Taverna no Fim do Multiverso. Minha ideia através dessa postagem é fazer um compilado sobre os financiamentos de livros de RPG no Catarse e Vakinha, de quantos são e como estão indo, já que esse modelo se tornou um meio de muitas editoras ou pessoas de trazerem seus projetos a tona. Conheci esse modelo em 2017, mas só comecei apoiar do ano passado para cá e nesse tempo, vi em alguns grupos no Facebook, pessoas comentando sobre como andava esse ou aquele projeto, então pensei em criar uma tabela para manter o controle sobre os meus, mas se já ia fazer essa pesquisa, por que não ter um pouco mais de trabalho e fazer uma tabela mais completa para compartilhar com os leitores do Mundos Colidem.

Cultos Inomináveis, o novo RPG da Redbox

Conforme anunciado semana passada, a Redbox vai trazer um dos melhores jogos dos últimos tempos, Cultos Inomináveis (Cultos Innombrables, da editora espanhola Nosolorol). Um RPG de intriga contemporânea e terror, baseado nas histórias de H.P. Lovecraft, mas com uma abordagem completamente inovadora.

Diário de Sessão: Starfinder do Mesa de Encontros – 2º episódio

E esta semana, na Taverna no Fim do Multiverso, segue o resumo da segunda sessão da campanha de Starfinder enviada pelo Matheus Medvedeff do Mesa de Encontros.

Deseja participar da Taverna no Fim do Multiverso? Confere o Regulamento!

Diário de Sessão: Starfinder do Mesa de Encontros

E esta semana, na Taverna no Fim do Multiverso, segue o resumo de campanha da sessão zero e da primeira sessão de uma campanha de Starfinder enviada pelo Matheus Medvedeff do Mesa de Encontros.

Deseja participar da Taverna no Fim do Multiverso? Confere o Regulamento!

Espada & Magia: O Mundo de Osia

Ano Novo… Novos Mundos!

Saudações bípedes, criaturas pensantes, detentoras de polegares opositores e formas de vida baseadas em carbono!

Quem vos fala é Stefan Costa, e como prometido, não demorei muito para voltar aqui ao Mundos Colidem, e desta vez escrevo empolgado enquanto contabilizo os lucros da dungeon passada (entendedores entenderão, kkk). Após minha última postagem que, admito, foi a mais fraca até agora, pensei em caminhar por uma nova trilha.

Como licenciado em Geografia, sou particularmente interessado em dois ecossistemas distintos, devido às suas extensas variedades: Os Desertos e as Ilhas/ Arquipélagos, o que naturalmente gera um interesse pelo mar em si.

É esse ecossistema que será o nosso tema de hoje, mas não como era de se esperar. Embalado no hype marítimo, decidi criar um mini cenário com temática submarina, adaptando diversos conceitos de fantasia e elementos da nossa querida Espada & Magia.

Espada & Magia: Teotocan – O Império do Sol

Saudações bípedes, criaturas pensantes, detentoras de polegares opositores e formas de vida baseadas em carbono!!!!!

Quem vos fala é Stefan Costa, e após um relativamente longo hiato, estou de volta como uma Fênix renascida depois de encarar uma das dungeons mais hardcore que a vida tem a oferecer… O concurso público, se o embate neste local trará grandes tesouros no futuro, só o tempo dirá.

Se o título acima lhe pareceu familiar, ou até mesmo clichê, de algum modo eu temo que você está certo, mas convenhamos, com o tema que norteia este cenário não tem nome melhor. Para quem ainda está perdido ou não pegou a referência este mini cenário tem por base nada mais, nada menos, que as civilizações pré-colombianas, mesoamericanas e sul-americanas, ou para resumir, Astecas, Maias e Incas, assim como alguns outros povos.

Sobre Morte e Heróis

Olá leitores e leitoras!

Não gosto de apresentações muito longas, então tentarei manter isso breve. Meu nome é Joris e esta é minha postagem de estréia na Taverna no Fim do Multiverso. Feitas as apresentações, vamos começar a falar sobre o assunto desta coluna. Você já parou pra pensar em o que significa ser um herói?

Espada & Magia: Espadas Selvagens de Aaman

Saudações camaradas!!!!!!

Quem vos fala é Stefan Costa, estou de volta com mais um mini cenário para o vosso deleite, ainda dentro da proposta do jogo Espada & Magia, do camarada Raphael Lima. Nessa postagem, como prometido, pretendo evitar eurocentrismo medieval padrão.

De modo que dessa vez a base para este mini cenário remonta a um local e civilização da qual temos pouquíssimas evidências, se comparados aos Gregos ou Romanos, por exemplo, mas que é a tida como a origem da civilização como a conhecemos — a Mesopotâmia.