Jogando Ryuutama

Olá pessoas!
Semanas atrás postei aqui uma resenha falando sobre um dos meus RPGs favoritos dos últimos tempos: o Ryuutama. Nela eu apresentei o jogo e resumi suas principais e diferentes mecânicas. Caso você não tenha a lido ou não se lembre do que falei, sugiro parar a leitura aqui e ler a postagem anterior a fim de se inteirar sobre o assunto. Pois bem, eu então consegui convencer meu grupo a jogar uma campanha usando o Ryuutama (com ajuda dos amigos Joka e Leish, também colaboradores do Mundos Colidem), e é o que viemos fazendo nas últimas semanas. Hoje o que vos trago é uma análise das minhas primeiras impressões do sistema, a construção da minha campanha e como as suas mecânicas únicas vêm se comportando em mesa.

Mouse Guard para Savage Worlds

Olá pessoas!
No mês passado eu postei aqui um texto falando sobre como Adaptar para RPG. De fato, as explicações que apresentei nele são complementos e funcionam em conjunto com a postagem do tio Petras sobre Adaptações e a série que meu amigo Leishmaniose vem postando sobre como adaptar regras de outros sistemas para o seu favorito. Hoje eu resolvi dar um exemplo de como adaptar pegando emprestado um cenário que citei no meu texto anterior. Estou falando do incrível Mouse Guard, que foi adaptado para o Crônicas RPG pelo nosso colega Hélio lá na Estação das Brumas. E o sistema alvo desta adaptação será o Savage Worlds, lançado aqui no país pela Retropunk.

Resenha: Ryuutama

Olá pessoas!
Em minha primeira postagem aqui no Mundos Colidem, eu falei sobre o único e cativante Golden Sky Stories. Hoje trarei aos senhores o que eu pude absorver da leitura de outro RPG japonês e que foi lançado através do Kickstart pelo Kotodama, o mesmo pessoal que trouxe o já mais conhecido Tenra Bansho Zero (este infelizmente ainda não pude ler). Estou falando de Ryuutama, um RPG de fantasia natural único e que merece a atenção e leitura de todos.

Adaptando para RPG

Olá pessoas!
Bem-vindos novamente ao Santuário do Mestre, agora em sua segunda postagem. Na estreia da coluna eu falei um pouco sobre Golden Sky Stories, um sistema japonês único e desconhecido pela grande maioria. Inclusive já tenho preparado um texto sobre outro RPG japonês para postar aqui. Entretanto, achei melhor postar um texto diferente hoje, abordando um pouco um aspecto interessante do nosso hobby. Eis então que, olhando para trás e vendo sobre o que eu já havia postado na internet anteriormente, resolvi trazer hoje para vocês um assunto que está sempre na moda no mundo RPGístico: adaptações.

Resenha: Golden Sky Stories

Olá pessoas!

Bem-vindos ao Santuário do Mestre, seu novo lugar no Mundos Colidem para falar sobre sistemas novos, velhos, perdidos, que ninguém liga, regras aleatórias e adaptações (de animes e games, geralmente). Eu sou o Tio Lipe, também conhecido como “Cavaleiros” por antigos leitores de blogs de RPG. Quem me conhece sabe que eu já tive alguns blogs, que TENHO um blog (confira o Papo de RPGista), e que já postei nos blogs dos outros (e olha eu aqui fazendo isso novamente). Já quem me acompanha sabe que meus trabalhos incluem principalmente, mas não exclusivamente, adaptações de Naruto… Quero dizer, de animes e games para diversos sistemas. Eu também sou louco por criar meus próprios sistemas e fazer meus jogadores sofrerem com playtests e mudanças intermináveis nas regras. E não é que, no fim, acabei criando mesmo um sistema ao meu estilo chamado Tio20 RPG! Apresentarei o danado em outra oportunidade, pois hoje, como minha postagem de abertura, vim trazer uma resenha que fiz tem um tempo sobre um jogo que me cativou absurdamente, mas, infelizmente, não pude ainda jogar. Estou falando de Golden Sky Stories.