Hiato Julino e Minijogo “Vamos ao Supermercado?”

Olá. Julho chegou! E, com ele, o nosso hiato de meio de ano para as merecidas férias julinas. O site do Mundos Colidem estará em hiato de postagens até o dia 02 de agosto, uma segunda feira, quando retornaremos às atividades!

De praxis, deixo aqui o nosso explícito agradecimento a todos que nos acompanham! Pelos acessos, apoios, comentários, compartilhamentos e uso dos nossos conteúdos! Muito obrigado mesmo!

Por fim, se puderem, fiquem em casa. Usem máscaras, mantenha distância de um quadrado (1,5m) das pessoas – sem engajar –, caprichem no álcool em gel e na lavagem de mãos, evitem aglomerações e mantenham as jogatinas de RPG por plataformas virtuais, como o Roll 20. Aqui fica uma proposta de minijogo, o mais recente de Raphael Lima, para momentos como os atuais. Ele está a Pague o Quanto Quiser no Dungeonist:

“Vamos ao supermercado?” é um minijogo em tempos de pandemia sobre esperança e a busca por suprimentos. A personagem está de quarentena, mas precisa sair para conseguir suprimentos para sua família e pode ser infectada em sua busca. É um jogo sobre a jornada de sobrevivência diária e suas interações sociais. Esse jogo foi feito para ser jogado por duas pessoas em isolamento social, mas funciona também para um grupo, usando recursos virtuais ou no modo solo, usando um oráculo.

Vamos ao Supermercado?

Espero que aproveitem!

Bonanças.

Atenciosamente,

Leishmaniose

Regras rápidas para Espada & Feitiçaria

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

 

Nos últimos anos, a minha vivência com o RPG tomou caminhos bem diferentes dos que o garoto de 13 anos que jogou AD&D em meados de 1995 escolheu, especialmente quando comecei a usar o RPG como ferramenta pedagógica nas minhas aulas. Alguns anos de luta e experiência com o RPG na educação foram relatados no artigo É possível usar o RPG em Sala de Aula? Nesse meio tempo, junto com meus companheiros do Mundos Colidem, durante as nossas conversas online sobre game design, cenários e algumas coisitas mais eu me atrevi a enveredar na produção de jogos, tentando brincar com a arte do design de jogos.

Cruzados: Jornada à Terra Santa

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

Essa semana na Caixa do Lima (outrora Nomos), esta coluna onde que vos falo quinzenalmente, gostaria de apresentar para vocês o Cruzados: Jornada à Terra Santa, o segundo minijogo de minha autoria, dessa vez com uma temática medieval e bastante influenciado pelo Medievo RPG. Segundo minijogo? Mas cadê o primeiro? O primeiro minijogo produzido, Sobreviventes: um jogo minimalista de sobrevivência pós-apocalíptica, aborda um mundo devastado por um apocalipse zumbi. Para ambos os jogos, vocês só precisam de alguns pedaços de papel, lápis, borracha, um punhado de dados de seis lados — os famosos d6 — e uma cópia dos folhetos dos jogos.

Cruzados é um minijogo sobre a Jornada à Terra Santa, onde os jogadores são membros de uma cruzada cristã.

Cruzados, introdução.

Sobreviventes: um jogo minimalista de sobrevivência pós-apocaliptica

Sim, este é outro jogo sobre o apocalipse zumbi. A diferença é a sua proposta para jogos curtos e casuais, onde o jogador é uma sobrevivente, tentando alcançar um tipo de santuário cuja existência ela descobriu ao longo de sua jornada, através das histórias de outros sobreviventes. Mas a sua localização é desconhecida. Nada é certo.

— Sobreviventes