Analisando atributos físicos ou como entender atributos multifuncionais

Caros leitores e aventureiros que seguem na subida da Torre do Destino, sejam bem-vindos ao segundo andar. Por aqui vou falar um pouco mais da minha visão sobre como o Dungeons and Dragons simula seus embates físicos, analisando os atributos físicos da 5ª edição. Seguirei na temática do D&D para mostrar melhor meu ponto de vista sobre sistemas de RPG e facilitar o entendimento quando eu for falar de outros jogos.

Começar entendendo o clássico para poder avançar.

Depois da minha primeira postagem, falando sobre Inteligência, aprendizado e personagens “espertos” em D&D, pude ter várias discussões interessantes sobre a falta de apelo para inteligência na 5ª edição — o que nem sempre é visto como um problema por todos. Mas a pergunta oposta surgia sempre e naturalmente durante as discussões:

 

se Inteligência é “pior atributo” na minha visão, qual seria então o melhor atributo?

 

Claro que, ao discutir o “melhor atributo de um jogo” sempre recaí na visão que cada jogador tem do jogo. Não me vejo chegando aqui e apenas dizendo que todos os jogadores deveriam jogar de tal modo e com personagens com tais características. A ficha, os atributos, o sistema em si, têm como principal ideia a moldagem de personagens e situações; não estou aqui para dizer qual o modo certo de construir seus personagens.

Divirta-se e tente sempre se aproximar na regra daquilo que está na mente.

Então, para fugir um pouco das interpretações dessa pergunta, vou tentar mostrar algumas abordagens que vejo mais claramente. Qual seria o atributo com maior funcionalidade durante o jogo? Ou ainda, qual o atributo é mais útil para a maior quantidade de personagens? Considero essenciais estas duas perguntas, pois representam o atributo que melhor funciona sozinho versus o atributo que melhor funciona para todo mundo. Minhas respostas aqui são Destreza e Constituição, respectivamente. Nada surpreendente, dado o título da postagem.

Destreza

Fazer tudo com destreza é a cara do assassino

Como vemos no Player’s Handbook, o atributo Dexterity (Destreza) mede sua agilidade, reflexos e equilíbrio. Personagens rápido, sorrateiros e dinâmicos tendem a ter altos valores de Destreza. E aqui a descrição recai rapidamente para termos mecânicos do sistema. Perícias de Destreza são Acrobatics (acrobacia), Sleight of Hand (comumente traduzida como “prestidigitação” ou “truque de mãos”) e Stealth (furtividade). Intuitivamente entendemos os significados dessas perícias como a habilidade de equilibrar-se, de correr, de saltar, de esconder-se ou mesmo de realizar pequenos furtos imperceptíveis, além de outras artimanhas físicas que se encaixam no entendimento geral de Destreza.

Mas não paramos por aí — Destreza também é um dos atributos mais significativos para combate, sempre influenciando a iniciativa, a capacidade de agir primeiro que seus inimigos, além de ser muito importante para Armor Class (Classe de Armadura), que representa a capacidade defensiva do personagem. Com isso, o atributo já se torna uma opção preferencial para personagens que queiram ter bons reflexos e melhorar sua capacidade defensiva.

Se não bastasse tudo isso, o atributo de Destreza ainda tem um dos testes de resistência mais recorrentes contra magias de dano massivo e pode se tornar seu atributo principal em combate contando para acertos e dano. Ufa! Como me disse Leishmaniose esses dias, falando sobre Destreza:

É o atributo que lava, passa, cozinha e ainda faz um cafuné, se você pedir.

E eu não pude discordar dele nesse ponto.

Constituição

Se Destreza representa o atributo mais “faz tudo” do sistema, a Constitution (Constituição) representa a saúde,

Pergunte ao kraken a importância dos pontos de vida

energia e força vital do herói. Personagens com altos valores de Constituição representam personagens saudáveis, resistentes e vigorosos. A principal influência do atributo está nos pontos de vida do personagem, que são a quantidade de avarias que o personagem suporta em seu corpo — ou se preferir, quanto tempo ele aguenta ficar de pé durante um combate sem o auxílio de curas. Por si só, pontos de vida a mais são um motivo e tanto para todos os jogadores pensarem em ter valores pelo menos razoáveis em Constituição.

Caso os pontos de vida adicionais não sejam o suficiente, ainda temos mais: os Testes de Resistência de Constituição também existem em uma quantidade razoável em todo livro de jogador, quando envolve magias e habilidades de controle dos inimigos. Além disso, todo conjurador tem como se beneficiar de bons valores de Constituição com os testes de concentração. Nada mais desestimulante do que ver suas magias de concentração desvanecendo do campo de combate simplesmente por causa de uma cantrip (truque) que te acertou ou um pequeno dano em área.

No geral, os dois atributos representam uma gama boa de qualidades físicas dos personagens. O último atributo físico que entraria nesse grupo seria a Força.

O primeiro é pedra!

Força

Por sua vez, Strength (Força) representa o “poder corporal”, a força física e a capacidade atlética do personagem — algo um pouco mais abstrato que os dois atributos antecessores. Altos valores de Força representam personagens fisicamente fortes, com capacidade de empurrar, quebrar ou levantar coisas e causar mais dano em combates físicos, fazendo com que em alguns pontos, o entendimento dele possa se confundir com o de Destreza ou mesmo de Constituição. Em termos de regra, ele tem importância na tríplice do combate físico, mas acaba sendo facilmente substituído por Destreza, quando são usadas armas com finesse.

A Trindade

No conjunto completo, os três atributos coexistem bem. Quando a rolagem de iniciativa é anunciada e o jogo entra no minigame do combate, a trindade dos atributos físicos se tornam a base do jogo, uma espécie de jo ken po deformado, onde cada atributo representa uma característica básica do combate: agressão, esquiva e defesa. Em termos simples, Força ataca e gera agressão, que pode ser esquivada e totalmente ignorada pela Destreza ou o dano é absorvido “parcialmente” pela Constituição. Numa trinca de pedra-papel-tesoura com apostas e uma complexidade maior, todo o combate pode se desenrolar.

Pedra-Papel-Tesoura-Lagarto-Spock

Claro que, em termos de jogo, a prática não se torna algo tão simplista assim.

Mas a tentativa de entender a construção por trás de todo o sistema do D&D e como essas três entidades se relacionam, ajuda a entender a importância de cada uma delas. Nas adaptações de Leishmaniose dos jogos no estilo wuxia para 5ª edição, chamado de Shenlong RPG (clica aqui pra ler) e de Naruto, onde ele explica bem a construção do game design (clica aqui pra ler), essa ideia de uma função para cada atributo é abraçada, gerando um jogo mais claro em termos de significado para todos, mestres e jogadores.

Um Experimento

Por fim, proponho uma pequena experiência. Faça uma “ficha média” com os personagens da mesa que você mestra ou joga. Some todos os pontos de força e divida pelo número de jogadores, encontrando uma Força média da mesa e em seguida, faça isso com todos os atributos. Eu arrisco dizer que na maioria dos casos, Destreza e Constituição serão os atributos mais elevados na sua mesa — ao menos nas quatro mesas onde fiz o teste, não houve margem de erro. Em três delas, a Constituição estava acima de todos os atributos (mas não era sequer o maior atributo de nenhum dos jogadores) e Destreza foi o maior em apenas uma delas.

Aproveita para comentar aqui como foi a experiência com a sua mesa.

Termino aqui esses apontamentos meio aleatórios sobre qual seria o atributo mais relevante na 5ª edição com um empate técnico. Destreza representa o atributo mais impactante sozinho, enquanto Constituição é um atributo valioso para todos, sendo em geral o segundo maior atributo em muitas fichas.

E você, tem um entendimento diferente de como apontar um “melhor atributo” no D&D 5ª edição? Acha que algum outro atributo é mais “faz tudo” do que Destreza? Ou que algum atributo mais útil para todos do que Constituição? Vê alguma vantagem para a Força que deixei passar?

Comente sobre suas análises, em um debate saudável e sem hates.


No geral, se você já chegou até aqui, aproveite os bônus de experiência por terminar o segundo nível da Torre do Destino. A próxima porta já aponta para o último post sobre os atributos em D&D, onde falarei sobre Sabedoria, Carisma e as habilidades de Conjuração. Espero que aproveite seu descanso longo até chegarmos ao próximo nível.

1 Comentários

  1. Necrolassays:

    Interessante que isso é coisa que todo mundo pensa em algum momento mas nunca parou pra raciocinar dos porquês, pelo menos em D&D.

Deixe uma resposta