Conheça The Magical Land of Yeld

Olá pessoas!
Aqui é o Tio Lipe e bem-vindos a primeira postagem de 2019 do Santuário do Mestre. Ano passado foi bem puxado para mim e acabei não conseguindo publicar tanto quanto em 2017. Entretanto, 2018 foi o ano de Naruto aqui no Mundos Colidem, onde revisei a minha adaptação para 3D&T Alpha (com direito a um novo manual) e meu amigo Leishmaniose iniciou a sua para D&D 5ª Edição (vamos concluir, hein?). Ainda em 2018 também publiquei o primeiro playtest oficial do meu novo sistema, o Gaia RPG, e este ano promete novidades para o mesmo. Aguardem! Mas hoje trago para vocês mais uma resenha, desta vez sobre um jogo que terminei de ler recentemente e gostei bastante. Estou falando de The Magical Land of Yeld.

O Papel do “Mestre do Jogo”

Olá Aventureiros!

Eu sou o mestre Quiral, e faço parte de um grupo de amigos que se juntou para uma grande Festa dos Mestres. Há pouco mais de um ano tivemos um encontro aleatório nessa grande campanha que jogamos, que é a campanha da vida real, e resolvemos nos manter juntos em um novo grupo chamado: DM’s Party. Dentro dessa história acabamos colidindo nosso mundo aqui, e agora estamos fazendo a nossa estreia com esse assunto que espero poder lhe ajudar um pouco dentro desse hobby que amamos.

Por enquanto a “festa” é composta por três amigos, eu (mestre Quiral) e os grandes: Eduardo Vieira e Rodrigo de Mattos. A nossa ideia é trazer assuntos sobre o RPG em geral e compartilhar um pouco de nosso XP por aqui, e como “vento que venta lá, venta cá”, vamos ganhar XP com isso também! E neste primeiro episódio falaremos do Papel do Mestre do Jogo!

A Ferro e Fogo: Shenlong RPG (Primeira Parte)

Olá,

Feliz Ano Novo, 2d8 leitores! Eu sou o Leishmaniose e neste primeiro capítulo do Lugar Nenhum de 2019, estarei apresentando um capítulo da série A Ferro e Fogo, trazendo a primeira parte de um hack para jogos do gênero Wuxia para a 5E, a engine do D&D 5ª edição: o Shenlong RPG!

Shenlong RPG: Prelúdio |

Construindo Personagens e Cenários em Crianças Enxeridas

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

Retornamos a esta caixa de ideias em sua primeira aparição deste ano, da forma como terminamos o ano passado: falando sobre jogos autorais do Mundos Colidem. E já que o papo é sobre as nossas produções, vamos logo trazendo notícias sobre um dos jogos mais esperados deste coletivo, sim, senhoritas, senhoras e senhores, estamos falando do Nova Amsterdã (NA), um cenário que traz o mythos de Lovecraft para o Nordeste brasileiro durante a dominação holandesa, usando o sistema do Fate Acelerado.

E se você ainda não sabe o que é o Nova Amsterdã e ficou curioso com a sua proposta, este é o momento para aprender mais sobre ele.

Vamos às atualizações do NA: o texto está concluído e revisado, assim como as ilustrações feitas pelas mãos do talentosíssimo Miguel Rude e de algumas ilustrações adicionais de Leander Moura (como o mapa de Nova Amsterdã) e do Daniel Júnior (O Observador). O livro encontra-se em processo final de diagramação, sob a batuta do renomado Dan Ramos, correndo o risco de ficar pronto antes deste texto chegar ao conhecimento de vocês (calma, nós vamos dar uma segurada para ele só vir depois). Assim que o arquivo digital estiver concluído e passar pela avaliação final da equipe, ele será disponibilizado nas lojas virtuais do MC.

Mas enquanto isso não acontece, vamos falando de outros jogos autorais do coletivo — e nessa postagem, vamos conversar sobre Crianças Enxeridas.

Investigando casos insólitos: Arquivos Paranormais

Salve, Salve, investigadores de fenômenos insólitos! Eu sou o Joka e a Espaço Mítico desta semana traz para vocês o sensacional Arquivos Paranormais. Venham comigo conhecer, pois “a verdade está lá fora!”.

A Ferro e Fogo: Fate Quest

Olá,

Saudações, 2d8 leitores! Eu sou o Leishmaniose e no capítulo do Lugar Nenhum desta semana, estarei trazendo um capítulo da série A Ferro e Fogo, trazendo um hack de Fantasia Medieval para o sistema do Fate: o Fate Quest!

Usando Grid de Combate divididos por Zonas

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

No episódio desta semana na Caixa do Lima, vamos apresentar uma sugestão de grid para os combates em suas mesas de RPG, independentemente do estilo do sistema que vocês estejam jogando, seja ele gamista, narrativista ou simulacionista — em relação esse último, eu sei que que foi exagero, essa galera gosta é das distâncias milimetradas — mas aproveitando a brincadeira, gostaria de frisar que essa postagem é uma sugestão. Não estou dizendo que esse é o melhor jeito de conduzir os seus combates, apenas um método que uso em minhas mesas.

Naruto para D&D 5E – Jutsus Rank E

Olá,

Saudações, 2d8 leitores! Eu sou o Leishmaniose e no capítulo do Lugar Nenhum desta semana, na parceria com a Santuário do Mestre, darei continuidade à adaptação do cenário de Naruto para a 5E, a engine do D&D 5ª edição, trazendo os Jutsus de Rank E.

Naruto 5E: O Mundo de Naruto | Características | Habilidades | Clãs | Jutsus (Rank E)

Como Treinar Seu Sistema V – Atributos, Abordagens, Perícias, Habilidades, Características e otras cositas mas.

Olá,

Salve, Salve, 2d8 leitores! Eu sou o Leishmaniose e no capítulo do Lugar Nenhum desta semana, estarei trazendo um novo capítulo da série Como Treinar Seu Dragão Seu Sistema (série de postagens iniciada em 2017 com uma abordagem mais voltada para hacks e modificações de sistemas, cujos capítulos anteriores você pode encontrar aqui: Adaptando Regras (clique aqui); Entre Testes e Resultados (clique aqui); Aspirações e Objetivos (clique aqui); Sobre criar seu sistema, OGLs, Creative Commons e outras licenças (clique aqui). E neste quinto capítulo eu abordarei sobre os “stats” (também chamados de atributos, abordagens, características, habilidades, profissões, perícias, valores ou outros nomes dependendo do sistema) e como deixá-los mais maleáveis de acordo com o que você espera em seus jogos.

É possível utilizar o RPG em sala de aula? [Parte 2]

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

Essa semana na Caixa do Lima, coluna na qual conversamos quinzenalmente, gostaria de dialogar novamente sobre o uso do RPG na educação. E dessa vez atendendo a pedidos do pessoal que entrou em contato após a postagem “É possível utilizar o RPG em Sala de Aula” que foi publicada em dezembro de 2017. Na referida postagem, faço um relato da minha experiência com o uso/tentativas do RPG na educação, desafios, dificuldades e acertos. Para começarmos recomendo a leitura do artigo anterior para os que estão lendo essa postagem, para acredito eu ter uma melhor compreensão do que está sendo debatido.

E por que tocar nesse assunto novamente? Após a postagem citada acima, ocorreu uma procura dos companheiros docentes que desejam utilizar o RPG em sala de aula, mediante esse fato, resolvi fazer essa postagem com algumas dicas básicas para quem quer começar a usar o RPG nas suas aulas.

AVISO

ESTE ARTIGO REPRESENTA
MINHA EXPERIÊNCIA COM O RPG
EM SALA DE AULA