Vale da Glória: Microcenário para Savage Worlds

Olá, Galerinha!

Sejam bem vindos à Estação das Brumas. Em nosso último encontro, eu trouxe para vocês o conceito de panteão que venho usando em minha campanha para Savage Worlds. Desta vez, apresento uma região que fiz para a campanha e que vocês podem usar em qualquer cenário. E claro, com qualquer sistema de regras.

Para ficar de fácil entendimento, segui o modelo de apresentação visto nos livros de Dungeons & Dragons.

Sejam bem vindos ao Vale da Glória!

Conheça The Magical Land of Yeld

Olá pessoas!
Aqui é o Tio Lipe e bem-vindos a primeira postagem de 2019 do Santuário do Mestre. Ano passado foi bem puxado para mim e acabei não conseguindo publicar tanto quanto em 2017. Entretanto, 2018 foi o ano de Naruto aqui no Mundos Colidem, onde revisei a minha adaptação para 3D&T Alpha (com direito a um novo manual) e meu amigo Leishmaniose iniciou a sua para D&D 5ª Edição (vamos concluir, hein?). Ainda em 2018 também publiquei o primeiro playtest oficial do meu novo sistema, o Gaia RPG, e este ano promete novidades para o mesmo. Aguardem! Mas hoje trago para vocês mais uma resenha, desta vez sobre um jogo que terminei de ler recentemente e gostei bastante. Estou falando de The Magical Land of Yeld.

Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes: Blades in the Dark

Salve, Salve trapaceiros! Eu sou o Joka e a Espaço Mítico desta semana traz para vocês as escuras, violentas e ousadas ruas de Blades in The Dark. Chame sua gangue e prepare seu refúgio, este novo Golpe com certeza dará certo…

Construindo Personagens e Cenários em Crianças Enxeridas

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

Retornamos a esta caixa de ideias em sua primeira aparição deste ano, da forma como terminamos o ano passado: falando sobre jogos autorais do Mundos Colidem. E já que o papo é sobre as nossas produções, vamos logo trazendo notícias sobre um dos jogos mais esperados deste coletivo, sim, senhoritas, senhoras e senhores, estamos falando do Nova Amsterdã (NA), um cenário que traz o mythos de Lovecraft para o Nordeste brasileiro durante a dominação holandesa, usando o sistema do Fate Acelerado.

E se você ainda não sabe o que é o Nova Amsterdã e ficou curioso com a sua proposta, este é o momento para aprender mais sobre ele.

Vamos às atualizações do NA: o texto está concluído e revisado, assim como as ilustrações feitas pelas mãos do talentosíssimo Miguel Rude e de algumas ilustrações adicionais de Leander Moura (como o mapa de Nova Amsterdã) e do Daniel Júnior (O Observador). O livro encontra-se em processo final de diagramação, sob a batuta do renomado Dan Ramos, correndo o risco de ficar pronto antes deste texto chegar ao conhecimento de vocês (calma, nós vamos dar uma segurada para ele só vir depois). Assim que o arquivo digital estiver concluído e passar pela avaliação final da equipe, ele será disponibilizado nas lojas virtuais do MC.

Mas enquanto isso não acontece, vamos falando de outros jogos autorais do coletivo — e nessa postagem, vamos conversar sobre Crianças Enxeridas.

Um Panteão para Savage Worlds

Olá, Galerinha! Sejam bem vindos à Estação das Brumas. Mil desculpas pelo hiato prolongado, mas o tempo está bastante curto ultimamente devido às responsabilidades do dia a dia. Contudo, finalmente consegui um tempinho, então aproveitei o período de férias e pus a mão na massa.

Savage Worlds é um sistema bem versátil, apreciado há bastante tempo por mim e outros autores aqui do Mundos Colidem. Comecei a jogá-lo desde o lançamento da primeira edição pela Retropunk Editora. É um sistema genérico que possui muito material e com vários suplementos, com bastante material publicado pela editora e produzido por fãs.

Há um tempo atrás eu comecei a narrar uma campanha de fantasia medieval e após consultar o suplemento de fantasia, percebi que é possível criar um panteão de forma bem simples para o jogo. Porém, senti falta de alguns elementos norteadores como os vistos em outros RPGs de fantasia medieval. O nosso encontro de hoje tem como proposta apresentar um panteão que utilizo em minha campanha, para mostrar como é fácil construir o seu próprio panteão.

Viajar é preciso? Regras simples para viagens

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

No episódio desta semana da Caixa do Lima, este espaço quinzenal de diálogos sobre as mais variadas questões relativas à prática do RPG (jogos autorais, sugestões de regras, resenhas, uso do RPG na educação e afins), vamos falar sobre as viagens nos jogos. Estamos falando das viagens que os grupos fazem de uma cidade para outra, ou até enfrentando grandes distâncias e cruzando continentes em busca de aventuras. A palavra viagem, segundo o Dicionário Aurélio (7ª edição, pág. 815) significa “ato de ir de um a outro lugar mais ou menos afastado. Na grande maioria dos jogos de RPG, os grupos de jogadores fazem longas e variadas viagens, para resolver as demandas da estória na qual eles estão envolvidos. E é justamente nas viagens, que vários problemas podem acontecer.

Lankhmar: Cidade dos Ladrões [Savage Worlds]

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

Esta semana na Caixa do Lima, vamos falar sobre o último lançamento para Savage Worlds no Brasil, o Lankhmar: Cidade dos Ladrões, que foi financiado com sobras aqui nas terras tupiniquins, e se não no mesmo, mas quase ao tempo da versão em inglês. O Savage Worlds (SW), é um sistema genérico desenvolvido por Shane Lancy Hensley, conhecido por ser simples, rápido e selvagem e já está na sua segunda edição, com boatos confirmados de que um terceira edição se encaminha, acompanhada de uma versão SW de Flash Gordon.

Esse sistema tem se tornado o meu favorito para a diversão, com regras simples, cenários maravilhosamente bem construídos e um bom suporte da editora responsável aos amantes do sistema. Em postagens anteriores, abordei um pouco da minha experiência com o SW: África Século XXIII e Narrando Weird Wars II.

Espada & Planeta [Sword & Planet]

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

Essa semana a Caixa do Lima vem com uma postagem curtinha, mas com uma “pequena” surpresa para os leitores desta coluna: mais um minijogo com o selo Mundos Colidem de qualidade, utilizando o sistema Lima Lite, o mesmo que dá vida aos outros jogos mínimos apresentados nesta coluna (como Sobreviventes, Cruzados e Potiguares). A família de minijogos do MC ganha mais um integrante, o Espada & Planeta

Regras Extras para Sobreviventes

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

Essa semana na Caixa do Lima, vamos falar sobre o Sobreviventes um minijogo narrativo de minha autoria criado com o sistema Lima Lite, que é uma simplificação do sistema usado no Medievo RPG: Fantasia Medieval na Baixa Idade Média, que desenvolvi em meados de 2015 visando atender as necessidades das aulas sobre o referido tema. O Sobreviventes está disponível para download no DriveThru RPG (clique aqui) nas versões inglês e português e no Dungeonist (clique aqui) em português, ambos no modo PWYW. A versão física do minijogo foi disponibilizada pela Fábrica Editora para os apoiadores do FC do Desmortos.

Nova Ifé (Afro-Rangers) para FATE e FAE.

Olá, eu sou o Lima, Raphael Lima.

No episódio dessa semana da Caixa do Lima, o papo é sobre Nova Ifé, um micro-cenário desenvolvido para o Concurso Alphaversos, que ocorreu no último carnaval, organizado pela galera do site RPGista. Foi uma experiência muito divertida, onde boa parte dos integrantes do Mundos Colidem participaram, e todos nós ficamos no Top 10 do concurso, como relatado pelo Leishmaniose em sua postagem Concurso Alphaversos – Indo ao encontro do mais forte.

O cenário que eu escrevi no concurso é o Afro-Rangers, que inclusive já foi publicado na Caixa do Lima a sua versão para 3D&T, e em uma versão para Savage Worlds. Mas, hoje, a pedidos de alguns leitores desta pequena caixa de ideias, vou trazer uma versão do cenário para os amantes do sistema FATE, seja o Básico ou o Acelerado. Vamos lá?